Empresas

Pré-Incubadas (10)

Boomer

pré-incubada

Boomer cria tecnologia de cashback para incrementar vendas no mercado potiguar Criada com o propósito de inovar e estabelecer engajamento comercial por meio de cashback (método de compra e venda em que o consumidor recebe de volta parte do dinheiro gasto), a empresa Boomer oferece ao mercado potiguar uma solução tecnológica capaz de aumentar potencialmente o número de vendas de produtos comercializados em varejo. Vinculada à Inova Metrópole – incubadora de empresas do Parque Metrópole Digital – a startup conta com um aplicativo (de mesmo nome) que permite aos usuários ganhar de volta, sobre cada compra, porcentagens de 5%, 40% ou até mais de 80% dos valores de cada mercadoria cadastrada. “Um dos nossos diferenciais é a possibilidade do usuário utilizar o Boomer em qualquer loja varejista, como supermercados ou padarias, diferente do que acontece com outras soluções do tipo. Ao comprar aquele produto, o valor é automaticamente creditado no aplicativo e já pode ser sacado no mesmo dia”, destaca João Henrique Cassaro, CEO da Boomer. Isso é possível graças ao processamento automático da aplicação, que consulta dados oriundos da nota fiscal eletrônica (NFC-e /SAT) para constatar a compra do usuário, devendo este, através do aplicativo, apenas escanear o código QR do cupom fiscal, impresso pelo varejista onde o usuário fez a compra.  De acordo com João Henrique Cassaro, esse tipo de negócio oferece vantagens não apenas ao consumidor, mas também ao empreendedor. “É muito mais vantajoso comprar de uma marca que retorna uma porcentagem do valor do produto do que uma que não oferece cashback algum. Além disso, essa ferramenta permite que empresas invistam melhor seu dinheiro, com retorno muito mais garantido do que quando lançam promoções tradicionais ou sorteios”, aponta o CEO. Para ter acesso à lista de mercadorias com cashback, basta o usuário fazer o download gratuito da aplicação para os sistemas operacionais iOS ou Android. Varejo Além do trabalho com marcas e produtos específicos, a Boomer também visa estender esse tipo de serviço às redes de varejo. “Um comércio pode, para fidelizar o seu cliente, oferecer uma porcentagem sobre uma determinada compra, que seja feita no seu estabelecimento. Isso é uma possibilidade e já estamos fazendo a proposta à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) local, para que eles devolvam cashback das compras aos seus clientes”, comenta Cassaro. Outra meta da startup é fazer com que seu aplicativo se torne, para o consumidor final, uma forma de pagamento e de saque. De acordo com o CEO, a proposta é possibilitar que os usuários possam comprar produtos por meio do crédito disponível em sua conta Boomer ou até mesmo sacar o dinheiro direto dos caixas das lojas cadastradas. “Graças ao código QR, é possível realizar essa transição monetária, tornando qualquer padaria, restaurante ou mercadinho um caixa eletrônico 24h”, explica o CEO.

Game Mind

pré-incubada

Com plataforma de jogos online inovadores, startup oferece uma nova maneira de aprender matemática   Para tornar a matemática uma disciplina acessível e com o intuito de auxiliar, de maneira inovadora, estudantes a adquirirem novos conhecimentos e habilidades, a Game Mind – empresa vinculada à Inova Metrópole, incubadora do Parque Tecnológico Metrópole Digital – está desenvolvendo uma nova forma de aprender cálculo, equações e outros assuntos.   A empresa, formada no ano de 2020, está empenhada na criação de uma plataforma de jogos online de mesmo nome que reunirá diversas lições de matemática em um ambiente interativo e instigante, capaz de engajar o usuário na busca por conhecimentos didáticos sobre a matéria.   “Trata-se uma plataforma que disponibilizará sequências didáticas junto a jogos inovadores, de maneira a explicar matemática de uma forma bem diferenciada”, explica o gestor estratégico da empresa, Charles Madeira.   Inicialmente, o Game Mind abordará os conceitos trabalhados nos primeiros níveis de ensino escolar (fundamental 1) e, no futuro, com o desenvolvimento da plataforma e dos jogos didáticos, progredirá para os demais estágios de aprendizagem. A proposta é que, por meio de recursos imagéticos, como personagens cativantes e cenários digitais, o aluno possa desenvolver habilidades tanto no jogo como na vida real, evoluindo a cada nova fase.   “Por exemplo, se o personagem salta, isso gera um projétil em forma de parábola. Com esse caso, é possível ensinar o aluno de maneira prática, que o faça perceber a matemática no mundo real, já que uma parábola nada mais é do que uma função de segundo grau”, aponta o gestor.   Premiado A ideia de se criar a plataforma surgiu no ano passado, período em que os desenvolvedores da Game Mind criaram um projeto premiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).   Segundo Charles Madeira, além do reconhecimento nacional, outro fator que incentiva a equipe a desenvolver a plataforma é o baixo rendimento escolar em matemática, situação presente em todo o Brasil.   “Trata-se de um componente curricular importantíssimo e com o qual temos um deficit nacional gigantesco. Menos de 10% dos alunos que terminam o ensino médio aprendem a matéria suficientemente”, comenta o gestor.   A Game Mind tem como potenciais clientes escolas, professores, pais e estudantes. Atualmente, a startup visa oferecer o produto em todo o território nacional, mas também pensa em estender seu negócio a outros países, fazendo, para isso, a tradução da plataforma em diferentes línguas.  

Guia Natal

pré-incubada

Startup oferece turismo personalizado em Natal Fazer turismo não é mais a mesma coisa. Apesar de muitos serem os serviços oferecidos para quem deseja relaxar e curtir as diversas atrações de Natal (RN), o mercado tem se deparado com uma nova demanda trazida pelos viajantes de plantão: o turismo personalizado. Foi pensando nisso que a Guia Natal – empresa pré-incubada da Inova Metrópole, incubadora do Parque Metrópole Digital – passou a desenvolver ferramentas online direcionadas especialmente a essa classe de visitantes, consumidores de turismo personalizado. Segundo José Maria Pinheiro, CEO da Guia Natal, e Meirefran Moura, diretora administrativa da empresa, a proposta é oferecer ao turista a opção de ele mesmo planejar e escolher destinos que fujam do tradicional, já amplamente explorado pelas agências locais. “A ideia é atender aquele visitante que não quer ir apenas aos locais onde todo mundo vai e oferecer mais liberdade para que o turista faça a experiência conforme o seu próprio perfil”, explica José Maria Pinheiro. Segundo Meirefran, esse tipo de serviço destina-se, especialmente, às pessoas que já conhecem Natal e que desejam viver novas experiências na região. Para isso, a Guia Natal contará com a atuação de personal guias, profissionais que atendem às demandas por turismo personalizado nas áreas de lazer, experiência, aventura e religião. “Temos pessoas que preferem viajar de carro com a família, ao invés de um ônibus, por exemplo. Isso é personalizar a viagem, fugir daquilo que as empresas oferecem para as massas e ter total liberdade para ter a experiência que desejar”, aponta Meirefran. Décadas de experiência A Guia Natal já trabalha no mercado do turismo há 20 anos. Nesse tempo, a empresa já foi criadora de um dos principais conteúdos off-line para passeios na região – guias impressos com informações turísticas do Rio Grande do Norte. Hoje, a empresa decide investir em serviços especializados e disponíveis em ambiente online. Segundo José Maria Pinheiro, essa decisão foi tomada após a empesa participar do programa de pré-incubação da Inova Metrópole. “Percebemos que a tecnologia tem mudado consideravelmente a forma com que nossos clientes consomem e pensamos em investir nisso em nossa área de atuação”, relata o CEO. Atualmente, a empresa, pré-incubada há um ano, desenvolve um site institucional e um aplicativo leve com todas as informações para quem busca o turismo personalizado. Além disso, os sócios investem na produção de conteúdo para mídias digitais. Com o novo serviço, a equipe da Guia Natal prevê alcançar um público inicial de 12 mil pessoas. “A área turística de Natal recebe, todos os anos, cerca de 2,4 milhões de visitantes. A nossa proposta é alcançar 2% desse público já no primeiro ano após o lançamento das nossas ferramentas tecnológicas”, informa José Maria Pinheiro.

HUBBI

pré-incubada

Hubbi conecta cadeia de autopeças em Natal Com foco no setor de autopeças de reposição, a Hubbi é uma empresa natalense cujo principal objetivo é conectar consumidores e fornecedores do ramo automobilístico. Atuando como um marketplace – plataforma específica para vendas – a startup promete possibilitar, de maneira inovadora, a simplificação do processo de compra e venda de autopeças de reposição. Criada em 2019, a empresa, cadastrada no programa de pré-incubação da Inova Metrópole –incubadora do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) – está desenvolvendo uma plataforma online onde os usuários poderão pesquisar, por meio de filtros específicos, a oferta de diferentes produtos automobilísticos. “No sistema, o usuário consumidor irá apenas informar a placa do seu veículo e quais peças está precisando. O próprio sistema extrai as informações do veículo como modelo, versão, motorização, cor, etc e envia essa informação para que os distribuidores informem quais são os itens disponíveis, bem como seus preços e os prazos de entrega”, explica o administrador Igor Mesquita, fundador da Hubbi. “Também será possível o envio de fotos do veículo e das peças, evitando assim a compra de peças erradas, algo muito comum no setor”, completa. Dessa forma, a plataforma oferecerá resultados ranqueados para o usuário, que poderá escolher qual produto comprar como base na marca, nos preços, tempo de entrega, entre outros dados informados pelos fornecedores cadastrados. “A ideia é propiciar a automação no processo de compra e venda de autopeças, que vai facilitar e trazer mais confiabilidade na procura por itens do ramo automotivo. Essa solução vai trazer agilidade e economia às oficinas, além de criar um canal de vendas para os fornecedores”, esclarece Igor Mesquita. Banco de dados As funcionalidades da plataforma serão acessíveis por meio de uma assinatura do usuário. Uma vez “logado”, o cliente terá acesso a todas as ofertas, oriundas de um banco de dados a ser criado pela Hubbi. “O sistema funcionará como uma espécie de ‘hub’ do setor de autopeças, no qual a gente vai fazer um grande banco de dados para conectar todas as entidades que participam dessa cadeia de suprimentos”, explica o administrador. Conforme explica o idealizador da empresa, a plataforma Hubbi atualmente está em processo de desenvolvimento é terá como público-alvo inicial pessoas jurídicas. A ideia é englobar toda cadeia de produção de autopeças, desde a indústria até as seguradoras, locadoras, empresas com frotas próprias, entidades públicas com frotas de veículos, entre outros. Economia Além de facilitar o processo de pesquisa de mercado, a Hubbi também trará uma série de benefícios econômicos aos confeccionadores de autopeças. Um deles é a apresentação de relatórios business inteligence para as oficinas e os fornecedores. “Se você tem um sistema que te dá acesso a todas as informações na sua tela, e você consegue responder tudo de imediato. Existe um ganho de produtividade bem maior do que se você tivesse, por exemplo, dez vendedores atendendo ligações”, afirma Mesquita.

iFeira

pré-incubada

iFeira desenvolve aplicativo para compras em supermercados com delivery Você já pensou no tempo que desperdiça nas filas de supermercado? Essa é uma das principais reclamações dos clientes desses estabelecimentos. Além disso, é comum lembrar de última hora, já no caixa, de produtos que não foram adicionados ao carrinho.     Agora imagine um aplicativo que, além de possibilitar selecionar todos os itens que você deseja comprar, também faça a entrega em casa, ofereça opções para verificar as diversas redes de supermercados locais, comparar preços e pesquisar quais promoções estão disponíveis. Esse software, com todas as funcionalidades citadas, já existe e está em fase de aprimoramento: trata-se do I Feira. A plataforma vem sendo desenvolvida, desde setembro do ano passado, por uma startup pré-incubada na Inova Metrópole, que leva o mesmo nome do serviço. O I Feira pode ser definido como um e-commerce de supermercados com delivery. De acordo com a sócia-fundadora da startup, Viviane Aragão, ele se constitui em mais do que uma simples aplicação para entregas, oferecendo uma maior variedade de serviços. O aplicativo vai agregar funções que permitirão ao usuário, por exemplo, decidir em qual estabelecimento deseja realizar suas compras, ter acesso às promoções dos vários lugares, comparar preços, além de escolher o comércio por categoria, como supermercado, padaria, sorveteria, entre outros.   “A variedade desse tipo de oferta disponível é uma das coisas mais importantes da plataforma, pois as aplicações desse tipo que existem hoje no mercado não contemplam uma diversidade tão significativa de funções”, aponta a empreendedora.            Desenvolvimento Sócia-fundadora e responsável pela gestão da empresa, Viviane conta que a ideia de desenvolvimento de uma aplicação que atendesse todos esses requisitos surgiu em um momento específico de sua vida, quando teve de morar sozinha e necessitou fazer compras frequentemente.         “Quando eu comecei a fazer compras sozinha, também comecei a procurar alternativas para solucionar essa situação, mas eu não encontrava nenhuma aplicação eficaz para isso, e as que eu achava não resolviam o problema como um todo. A partir daí, comecei a pensar em um projeto, tive a ideia do I Feira e comecei a desenvolvê-la”, relembra. A ideia foi submetida e aprovada no Programa Acelera Inova, da incubadora do IMD, no segundo semestre de 2018. Depois de seis meses de capacitação e da construção de um protótipo funcional, a I Feira ingressou, em abril deste ano, no seu Programa de Pré-incubação. A data de lançamento oficial da plataforma está prevista  para até a primeira quinzena de julho.          Além de Viviane Aragão, a I Feira é formada por Geraldo Júnior, sócio e cofundador da startup, pelo desenvolvedor Henrique Medeiros, pelo Designer André Victor Guedes, e pela engenheira de produção Jéssica Azevedo. A plataforma está prevista para funcionar nos sistemas Android e IOS, além de um site na web no qual o usuário terá acesso a informações a respeito do app.

NUT

pré-incubada

Startup cria tecnologia para monitoramento remoto de pacientes em UTI Para auxiliar a assistência médica em hospitais de todo o Brasil, a NUT - empresa vinculada à Inova Metrópole, incubadora do Parque Tecnológico Metrópole Digital – criou a Plataforma de Assistência Remota (PAR), ferramenta capaz de acompanhar e entregar ao usuário todos os sinais vitais de pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s). Validada e utilizada pelo Centro Avançado de Oncologia do Hospital Liga Norte Riograndense Contra Câncer (LIGA), a PAR, entre outras funcionalidades, garante à equipe médica o acompanhamento à distância e em tempo real do paciente, reunindo, em uma plataforma online, todos os sinais vitais (como temperatura e respiração), monitorados pelos monitores multiparamétricos – equipamentos posicionados ao lado dos leitos de UTI’s. Além disso, a ferramenta permite a configuração dos limites de segurança e o telediagnóstico. “Seguindo os protocolos médicos aplicados às UTI’s, uma equipe assistencial deve registrar os dados do enfermo a cada duas horas. Esse registro é feito manualmente pelo técnico de enfermagem e os dados muitas vezes se perdem por não terem sido tratados ou arquivados de maneira eficiente”, comenta Dalila Monteiro, COO da startup. Diante dessa realidade, a PAR oferece segurança extra à equipe de saúde, já que todas essas informações podem ser acessadas de maneira online, em tempo real e em diferentes formatos, como gráficos, planilhas ou relatórios. Tudo isso com interface simples e de fácil compreensão. A tecnologia, segundo Dalila Monteiro, está pronta para ser usada em qualquer UTI, além de enfermarias equipadas como monitores multiparamétricos. Além do sistema online, acessível por todos os navegadores de internet e dispositivos web, a NUT também desenvolveu um aplicativo para smartphone - que permite que os alertas de segurança sejam notificados, trazendo praticidade e agilidade ao corpo clínico. Predição A empresa também trabalha na implementação do módulo de inteligência, com mecanismos de predição, que, fazendo uso de Inteligência Artificial, poderá prever possíveis complicações de saúde dos pacientes e do seu tempo de internação. “Atualmente, mesmo com o monitoramento constante das UTIs, os hospitais não contam com uma coleta de dados inteligente, de modo que não é possível trabalhar com alertas preditivos do quadro clínico do enfermo. Isso acaba impactando na estrutura financeira da organização e na qualidade do serviço prestado ao paciente”, comenta ainda Dalila Monteiro.

Pega Lá Delivery

pré-incubada

Startup oferece aplicativo de logística inteligente para e-commerce de água e gás de cozinha   Tarefas simples do nosso cotidiano como pedir água mineral ou gás de cozinha vão ganhar uma “ajudinha” a mais das tecnologias digitais. Isso porque a Pegalá Delivery, startup recém fundada em Natal, está desenvolvendo uma solução inovadora para o mercado potiguar: um aplicativo de logística inteligente especializado em e-commerce desse tipo de produto.   Ingressado no programa de pré-incubação da Inova Metrópole – incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital – desde o início de 2020, a Pegalá Delivery atuará por meio de um aplicativo, de mesmo nome, cujo público-alvo concentra-se nas indústrias de água mineral e de gás de cozinha, bem como seus clientes finais.   No app, os usuários com perfil do tipo distribuidor poderão, por exemplo, efetuar a elaboração de toda a logística para a entrega de água via rota do dia, entre outras funcionalidades.   Machine learning   Segundo o diretor de marketing da Pegalá e sócio da empresa, Danilo Araújo, para executar tais funções, o app está sendo desenvolvido seguindo o sistema Machine Learning, ou aprendizado de máquinas, termos do campo da Inteligência Artificial (IA) baseados no reconhecimento de padrões e nas capacidades das máquinas fazerem tarefas normalmente executadas por pessoas.   Dessa forma, o aplicativo é capaz, dentre outras funcionalidades, de “medir o consumo de água mineral baseado no comportamento familiar via machine learning”, explica o diretor de marketing. O modelo de empreendimento da Pegalá é baseado em experiências de negócios on-line já conhecidas em alguns países europeus.   Além de Danilo, a empresa conta com a participação de outros dois sócios e e já conta com a colaboração de investidores anjo para financiar sua expansão em território nacional.   A empresa também possui vínculo, além da Inova Metrópole, com a Incubadora Tecnológica Natal Central (ITNC).

Planejativo

pré-incubada

Com tecnologia, Startup revoluciona forma de estudar para o ENEM  Preparar-se para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) nem sempre é uma tarefa fácil. No entanto, diante de todos os desafios inerentes a uma rotina de estudos, a startup Planejativo – vinculada à incubadora Inova Metrópole, do Parque Tecnológico Metrópole Digital – tem revolucionado a forma de se adquirir conhecimentos e, consequentemente, conquistar a aprovação. Fundado em 2019, o Planejativo criou uma plataforma de mesmo nome capaz de auxiliar o gerenciamento dos estudos para o ENEM de maneira completa: desde o cronograma até a análise de desempenho do usuário. “A ferramenta utiliza metodologias inovadoras de aprendizagem, ciclos de estudos e revisões programadas para criar um plano personalizado e dinâmico, totalmente adaptável à rotina dos estudantes”, conta Tainara Celi, CEO da startup. Tudo isso é feito com o auxílio de inteligência artificial, que reformula automaticamente o cronograma caso o aluno não cumpra as metas diárias. Além disso, o Planejativo ainda sugere as melhores técnicas de aprendizado e o tempo estimado para cada atividade. A plataforma conta com mais de 37 mil questões integradas, além de um módulo de desempenho onde o estudante pode acompanhar a evolução e o rendimento alcançado nas questões e simulados. Mercado A ideia de se criar o Planejativo surgiu a partir de uma necessidade encontrada no mercado. Tainara Celi conta que, no período em que se preparava para concursos, ela e o sócio Heric Santos não encontravam ferramentas que possibilitassem o planejamento e a organização do estudo de forma adaptativa. A solução para o problema foi a criação de uma plataforma diferenciada, que hoje já conta com mais de 43 mil usuários cadastrados em planos pagos e gratuitos. “Temos planos de produzir diversos tipos de conteúdos educativos, de modo a gerar autoridade e, consequentemente, divulgar nosso negócio. Além disso, pretendemos criar um aplicativo mobile, visto que muitos usuários acessam a ferramenta pelo celular”, comenta Tainara Celi. Mais informações estão disponíveis no site oficial da empresa.