Notícias

Ecossistema de inovação e incubadoras de empresas são temas de Congresso de Empreendedorismo

17/10/2018 | Ascom/IMD | EVENTO | EMPREENDEDORISMO



O Instituto Metrópole Digital (IMD) irá sediar até amanhã (18) a segunda edição do Congresso de Empreendedorismo Universitário (CEU), evento organizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em parceira com várias outras instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte.

Tendo tido sua abertura na noite de ontem (16), o evento teve uma a programação que contou com várias palestras e mesas redondas ao longo do dia hoje. Uma delas debateu o tema do “Ecossistema de apoio ao empreendedorismo” e contou com o vice-diretor do Parque Tecnológico Metrópole Digital, Gustavo Coelho, como expositor.

A forma de funcionamento do Parque Tecnológico e de sua incubadora, a Inova Metrópole, foi um dos tópicos abordados por Gustavo Coelho, que também destacou o papel dessas entidades para os empreendedores potiguares. “O Parque tem o objetivo de ser uma alavanca para o empreendedorismo do Estado, mas também contribuir com o desenvolvimento tecnológico e humano”, ressaltou.

Além de Gustavo Coelho, também fizeram exposições representantes no evento do Sebrae/RN e da Fiern, Carlos Von Sohsten e Djalma Barbosa da Cunha, respectivamente. Eles falaram sobre a atual conjuntura do ambiente econômico norte-rio-grandense e destacaram o papel da Sebrae e da Fiern como promotores do empreendedorismo.

Aceleração

Outro evento importante ocorrido dentro do congresso, na manhã de hoje, foi a mesa redonda intitulada “Da aceleração de ideias à incubação de negócios: experiência das incubadoras”, que contou com a participação da gerente executiva da Inova Metrópole, a professora Iris Pimenta.

Ela fez uma exposição acerca do conceito de empreendedor, desmitificando a ideia de que esse papel depende da posse de um CNPJ ou empresa, mas estado mais próximo de uma forma de pensar e se portar. Iris ainda discorreu sobre tópicos como as diferenças entre aceleradoras e incubadoras de empresas e a evolução da Inova Metrópole ao longo dos últimos quatro anos.

Junto à professora do IMD estavam presentes outros representantes de incubadoras do Rio Grande do Norte: Gláucio Brandão, da Inpacta, da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT); Claudine Carvalho, da INTC, do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN); e Ygo Beserra, da Iagram, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa).

Dentre os temas abordados pelos participantes, estiveram o tempo que leva para uma empresa se graduar em uma incubadora e os trâmites para registros de patentes. Além disso, também se discutiu a dificuldade para a implementação de processos de incubação e da cultura do empreendedorismo dentro de ambientes universitários.

O diretor da Inpacta, Gláucio Brandão, por exemplo, disse que o principal obstáculo que teve nessa área foi a falta de comunicação entre cursos e áreas de conhecimento dentro da universidade. Comentando o tema, o diretor da Iagram, Ygo Beserra, afirmou que “existe falta de incentivo dentro da universidade para empreender; a graduação te forma para ser empregado”, analisou.

Além da UFRN, o evento é organizado pelo Instituto Federal do Rio Grande (IFRN), a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), por meio de suas pró-reitorias de Extensão e Pesquisa.

O encerramento do Congresso de Empreendedorismo Universitário será realizado nesta quinta-feira (18), com o “Workshop e Premiação da Maratona 100 Projetos em 100 Dias”, que acontece no auditório do IMD, a partir das 8h.

Congresso debate a cultura do empreendedorismo dentro da universidade

17/10/2018 | Ascom/IMD | EVENTO | EMPREENDEDORISMO



Com o tema “Cenários Futuros e as Oportunidades para Empreender”, foi realizada ontem (16) à noite a mesa redonda que marcou a abertura do “Congresso de Empreendedorismo Universitário: um olhar para o futuro”.

O evento aconteceu no auditório da Reitoria da UFRN e teve como membros da mesa redonda o autor da metodologia “Meu Planejamento Futuro” (MEF), Jaime Araújo, o gerente de comunicação e marketing do Sebrae/RN, Edwin Aldrin, e o diretor presidente da Farmafórmula, Júlio Maia. A mediação ficou por conta do diretor da Sebrae Inovar, Marcelo Bandeira.

O congresso é realizado pela UFRN, por meio da Proex, em parceria com o Instituto Metrópole Digital (IMD), Instituto Federal do Rio Grande (IFRN), Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

Segundo o pró-reitor adjunto da Proex, o evento é uma oportunidade de estímulo à cultura do empreendedorismo de forma mais ampla dentro da Universidade. “Acreditamos que hoje todo mundo precisa empreender, não só o estudante de Administração, mas também o da Arquitetura, da Medicina, entre outros. Então o empreendedorismo faz parte do processo de formação profissional de todos os nossos alunos, por isso a importância desse evento”, destaca.

O congresso tem continuidade, nesta quarta e quinta-feira, com uma série de palestras e outros eventos que abordam temas ligados ao fomento da cultura do empreendedorismo, tais como: “Internet das coisas, tecnologia e empreendimentos”; “Aceleração de ideias e incubação de negócios - experiências das incubadoras”; e “Metodologias e ferramentas de suporte ao empreendedorismo”.

As palestras acontecem na sede do IMD nos turnos da manhã e tarde.
Na quinta-feira (18) será realizada, no auditório do IMD, o “Workshop e Premiação da Maratona 100 Projetos em 100 Dias”.

Estiveram presentes à abertura do evento a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, o pró-reitor adjunto de extensão da UFRN, Breno Cabral, o pró-reitor de pesquisa do IFRN, representantes do Conselho Regional de Enfermagem e representantes do Centro Universitário do Rio Grande do Norte (Uni-RN), além da comunidade acadêmica e interessados no tema. 

Empresa incubada desenvolve marketplace para conectar técnicos de informática e usuários

09/10/2018 | Germano Freitas | INOVA



Criada para prestar serviços de TI para empresas, a EComp – Soluções em Tecnologia resolveu dar um passo à frente quando passou a desenvolver uma plataforma para atingir um público mais amplo, o usuário comum de informática. Foi assim que surgiu o seu serviço de marketplace, que objetiva conectar profissionais que oferecem assistência técnica a clientes individuais.

A nova plataforma em desenvolvimento pela Ecomp, no entanto, convive bem com sua principal atividade atualmente, que é a oferta, por meio de contratos empresariais, de um serviço que cuida de todas as necessidades de TI de uma empresa. Dessa forma, são realizados desde a aplicação e o gerenciamento de backups automáticos até a estruturação de redes de computadores.

Além disso, a Ecomp também presta o suporte contínuo a seus clientes, cuidando do funcionamento e da qualidade do serviço. E, apesar do contrato empresarial ser seu forte, suas atividades também abrangem o atendimento técnico de informática para clientes em geral, como é o caso de manutenção de dispositivos ou instalação remota de aplicações.

Assim, a empresa mantém uma economia saudável, tendo movimentado cerca de R$ 300 mil no ano passado e concluído 230 atendimentos nos últimos seis meses. Além disso, já cumpriu mais de 1100 ordens de serviços avulsos desde que ingressou na incubadora Inova Metrópole, em 2016. E também já firmou 33 contratos empresariais desde o seu surgimento, em 2015.

Marketplace

A plataforma em desenvolvimento pela empresa, que visa criar um marketplace que ligue clientes a técnicos de informática, é única no Rio Grande do Norte. Como os profissionais são aprovados por meio de cadastro, tem a vantagem de passar garantia e segurança aos clientes. Outra vantagem é a assistência remota, através de aplicação fornecida pela EComp para profissional e cliente.

Por hora, no entanto, a plataforma encontra-se desativada para que a empresa possa realizar aprimoramentos. A ideia é que passe a ser completamente automatizada, tanto para os clientes como para os técnicos. Mas o serviço não deixou de ser prestado, já que os clientes ainda podem procurar a Ecomp mesmo no caso de serviços mais simples e para pessoas físicas.

Hoje, a empresa com conta com 10 colaboradores - entre estagiários, técnicos, sócios e demais prestadores de serviço. Foi fundada por Francisco Queiroz e Lair Solano, ambos formados em Engenharia da Computação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A companhia foi uma iniciativa de Francisco, que planejava voltar a empreender, depois que teve um serviço informal de Tecnologia da Informação (TI) antes da graduação. Assim, juntou-se ao seu colega de turma e formou a sociedade atual.

Resultado Avaliação Acelera Inova

08/10/2018 | Inova Metrópole |



 

 

Bomédico oferece plataforma para agilizar e facilitar marcação de exames e consultas médicas

04/10/2018 | Elis Lopes | INOVA



Marcar uma consulta parece tarefa simples, mas a demora e dificuldade em conseguir uma data ou médico disponível pode fazer com que o interessado adie o quanto puder essa providência. Foi pensando em superar esse e outros empecilhos, que um grupo de empreendedores desenvolveu o Bomédico, aplicativo que ajuda a agendar consultas e exames de forma rápida e prática. 

A aplicação disponível para os sistemas Android e iOS é o serviço oferecido pela startup, inserida no programa de incubação da Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital. Por meio da plataforma, o usuário pode encontrar o profissional de saúde mais próximo, marcar a consulta desejada 24h por dia e ainda receber notificações sobre o dia da consulta, evitando assim esquecer o compromisso. O aplicativo também funciona para remarcações e cancelamentos.

Tendo ingressado no programa de incubação da Inova em janeiro de 2018, a empresa já conta com 160 clínicas e profissionais da área da saúde cadastrados em seu aplicativo, tais como médicos, odontólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, ginecologistas, entre outros. Além disso, o app também oferece marcação de 50 tipos de exames.

O Bomédico permite que mais de uma pessoa faça uso do mesmo aplicativo. Dessa forma, ao se cadastrar, o usuário pode registrar familiares ou amigos. Para inscrever-se no app, o interessado basta informar nome, telefone, e-mail e criar uma senha para login. Na pesquisa pela consulta, pode-se escolher a cidade, especialidade, subespecialidade e gênero.

A equipe realizadora do app é composta pelo CEO da Bomédico, Rilton Campos, o seu gerente comercial, André Tinoco, os investidores Ângelo Antônio e Bruno Tinoco e o advogado André Medeiros, acompanhados de um time de quatro funcionários. “Nossa plataforma não objetiva apenas marcar consultas, mas melhorar a experiência do paciente. Nossa ideia é criar um ecossistema de saúde”, explica Rilton Campos.

Fundo realiza evento em Natal para selecionar e investir em empresas da área tecnológica

02/10/2018 | Ascom/IMD | EVENTO | EMPREENDEDORISMO



O Fundo de Investimentos Criatec 3, que atua na capacitação e apoio às micros e pequenas empresas, vai realizar em Natal, no próximo dia 10 de outubro, um evento voltado para captar negócios inovadores com potencial de crescimento na área de tecnologia, além de oferecer apoio em gestão e estratégia aos empreendimentos selecionados.                   

Intitulado Roadshow Criatec 3, o evento vem sendo realizado em várias capitais do Nordeste e tem como um de seus objetivos o aporte de recursos – que podem variar de R$ 1,5 milhão a R$ 10 milhões – para as empresas selecionadas. Em Natal, o Roadshow Criatec 3 vai acontecer no Sebrae, a partir das 17h, e é aberto ao público mediante inscrição, que pode ser feita por meio deste LINK.                    

Apoio

Em Natal, o Roadshow Criatec 3 é organizado em parceria com o Sebrae e conta com o apoio do Parque Tecnológico Metrópole Digital, da incubadora Inova Metrópole, da também Incubadora Tecnológica IFRN Natal Central (ITNC), do Jerimum Valley e da Rede Potiguar de Incubadoras Tecnológicas (Repin).            

O Fundo Criatec 3 é uma organização gerida pela Inseed Investimentos e criado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), tendo como cotistas, além do próprio BNDES, o Banco do Nordeste (BNB) e outras agências de fomento e investidores privados.

Seleção

Para participar da seleção feita pelo Fundo, basta possuir uma empresa de base tecnológica localizada em território brasileiro e que possua potencial de inovação. É possível participar tanto na condição de público como se inscrever na condição de empreendedor, para realizar uma apresentação de negócio (pitch).                            

O evento consistirá em uma exposição do Fundo Criatec 3 às empresas, bem como trará informações sobre qual é o perfil de investimento dos fundos de Venture Capital (fundos de aplicações focados no capital), seguido do momento em que cada startup inscrita apresentará seu pitch para a Head de Investimentos da Inseed, Marília Lima.                        

Parque Tecnológico cria plataforma para anunciar oportunidades de empregos e bolsas em TI

01/10/2018 | Ascom/IMD | PARQUE TECNOLÓGICO



Aproximar as demandas das empresas potiguares de Tecnologia da Informação (TI) por mão-de-obra qualificada dos profissionais e estudantes que atuam na área. Esse é o objetivo de um site voltado para oportunidades de emprego e estágio, o Jerimum Jobs, criado pelo Parque Tecnológico Metrópole Digital.

Para realizar os anúncios de empregos e estágios, a empresa deve cadastrar-se no site e especificar a vaga que busca preencher. Em contrapartida, o estudante ou profissional interessado em oportunidades também pode fazer um cadastro e demostrar interesse em cargos em aberto. O Jerimum Jobs se constitui em um dos serviços oferecidos pelo Parque Tecnológico aos empreendimentos que nele se instalam, mas também é aberto às empresas do setor de modo geral.

Segundo o diretor do Parque, Anderson Paiva Cruz, a plataforma surgiu de uma necessidade identificada já há algum tempo. “Nós recebíamos várias demandas nesse sentido, tanto de profissionais que vinham até nós para oferecer seus serviços a fim de atuar nas empresas do Parque e da Inova, como de empresas da incubadora que tinham necessidade de encontrar profissionais, bolsistas ou estagiários”, conta ele.

Desenvolvida pela Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), a plataforma passou a ser elaborada no final de 2017. Ainda de acordo com o diretor do Parque, um serviço como o ofertado pelo Jerimum Jobs se torna viável devido à necessidade de articulação e comunicação entre as empresas de tecnologia regionais e o capital humano local.

“Essa iniciativa faz parte do objetivo que temos de criar uma ambiência tecnológica onde os talentos formados aqui, mas também os que vem de fora para cá, possam permanecer aqui”, afirma Anderson Cruz.

Para o Parque Tecnológico, essa é uma oportunidade de manter os profissionais mais qualificados dentro do seu meio, explica o seu diretor. Já para as empresas, bem como para os profissionais ou estudantes, é uma chance de crescimento e de aprimoramento, sobretudo em meio a atividades de tecnologia de ponta.

Nesse primeiro momento, somente as empresas da área de TI estão sendo aceitas para cadastramento. Porém, o objetivo do site é estender esse serviço, no futuro, para que outras empresas (que não sejam da área de tecnologia da informação, mas que procuram profissionais nesse setor) possam anunciar suas vagas de trabalho.

Conheça a nova plataforma acessando o seguinte endereço eletrônico: https://jerimumjobs.imd.ufrn.br/jerimumjobs/

 

 

IMD sedia Congresso de Empreendedorismo Universitário

28/09/2018 | Ascom/IMD | EVENTO



O Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) vai sediar, entre os dias 16 e 18 de outubro, o “Congresso de Empreendedorismo Universitário: um olhar para o futuro”, iniciativa que integra várias instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte.

O evento tem a realização da UFRN, em parceria com o Instituto Federal do Rio Grande (IFRN), Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), por meio de suas pró-reitorias de Extensão e Pesquisa.

A programação do congresso engloba uma série de palestras, mesas redondas, workshops e premiações. As inscrições podem ser realizadas por meio do Sistema de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), ou pelo LINK.

A abertura do Congresso acontece no Auditório da Reitoria, às 19h do dia 16, com a mesa redonda "Cenários Futuros e as Oportunidades para Empreender", tendo a participação do gerente de comunicação e marketing do Sebrae/RN, Edwin Aldrin, e do criador da metodologia Meu Planejamento Futuro  (MEF), Jaime Araújo, com mediação do diretor da Saber Inovar, Marcelo Bandiera.

Dando continuidade à programação, será promovido no segundo dia de evento (17) uma série de palestras abordando temas de fomento à cultura do empreendedorismo, tais como: “Internet das coisas, tecnologia e empreendimentos”; “Aceleração de ideias e incubação de negócios - experiencias das incubadoras”; e “Metodologias e ferramentas de suporte ao empreendedorismo”. As palestras acontecerão na sede do IMD nos turnos da manhã e tarde.

Para finalizar a programação será realizado no último dia do evento, no Auditório do IMD, o “Workshop e Premiação da Maratona 100 Projetos em 100 Dias”.

IMD recebe visita de empresários do comitê de inovação da Fiern

18/09/2018 | Ascom/IMD | INOVA | INOVAÇÃO | PARQUE TECNOLÓGICO



O Instituto Metrópole Digital (IMD) recebeu na semana passada a visita de empresários da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern), todos membros do Comitê de Lideranças Empresariais pela Inovação no RN. O objetivo, além de mostrar as instalações, serviços e estrutura do prédio central do Instituto, foi também apresentar empresas incubadas na Inova Metrópole para abrir portas e oportunidades.

Os convidados foram recebidos e guiados pelos diretor do Parque Tecnológico, Anderson Paiva Cruz, e pela gerente executiva da incubadora Inova Metrópole, Iris Pimenta. A excursão se iniciou pelo térreo com uma exibição do mapa do Centro Integrado de Vocação Tecnológica (CIVT), edifício central do IMD, e contou também com a participação dos professores Jair Leite e Anna Giselle Rodrigues.

Também foram expostos aos empresários o Datacenter e o Supercomputador da instituição. O sistema e suas capacidades foram apresentados pela própria equipe que mantém os equipamentos. Além disso, foram explicados os detalhes de segurança e condições de prevenção a acidentes com o equipamento.

Em seguida, os visitantes seguiram para o terceiro andar e conheceram algumas empresas incubadas, como é o caso da VOID 3D, além de verem ferramentas disponíveis para os empreendimentos e as áreas de trabalhos, como sala de reunião master, espaços de coworking, entre outros.

Entre às empresas incubadas, foi possível perceber uma boa recepção por parte dos empresários. Alguns chegaram a questionar cenários hipotéticos quando apresentados aos modelos de negócios incubados dentro da Inova e aventaram sobre possibilidades de parcerias.

Em um momento final, reuniram-se em um sala visitantes, representantes do Parque e da Inova, além do diretor de projetos do IMD, Jair Leite, para finalizar a apresentação com uma conversa sobre perspectivas, desafios e possibilidades para o futuro.

 

Empresa da Inova Metrópole é destaque no programa Impacta RN

11/09/2018 | Ascom/IMD | INOVA | INOVAÇÃO



A startup “T3: Tecnologia Educacionais”, empresa pré-incubada da Inova Metrópole, foi selecionada na semana passada como uma das dez melhores empresas de importância social que participaram do Impacta RN, programa promovido pelo Sebrae.

O Impacta RN oferece pré-aceleração para negócios de caráter tecnológico e social, disponibilizando mentoria e consultoria às empresas que dele participam. No início deste ano, a T3 foi selecionada, junto com mais 45 empresas, para receber o apoio desse programa.

Ao final dos sete meses de acompanhamento, distribuído em 100 horas de consultoria, mentoria e avaliação com profissionais de diversas áreas, foram definidas – levando em consideração critérios como evolução da empresa, organização, potencial do produto, entre outros – as dez melhores startups que participaram do acompanhamento.

Impacto

Primeira empresa de impacto social da Inova Metrópole, a T3 é uma startup de cunho sócio tecnológico, formada por três estudantes do bacharelado em Tecnologia da Informação (TI) do Instituto Metrópole Digital: Cecília Borba, Kevin Wallace e Henrique Granja.

A empresa oferece cursos presenciais a pessoas acima de 50 anos, voltados para o ensino do uso prático de computadores e smartphones. Além disso, a T3 está finalizando o desenvolvimento de seu produto tecnológico: uma plataforma online adaptável às necessidades de usuários com problemas como deficiência visual ou baixa visão, Mal de Parkinson ou Alzheimer.

Resultados

Como recompensa pelo resultado alcançado, as 10 startups selecionadas pelo Impacta RN receberão um acompanhamento individualizado e presencial da “investidora anjo” Camila Farani, que as auxiliará oferecendo consultoria durante quatro semanas.  

O “investidor anjo” é um empreendedor que investe, de forma independente, em negócios em crescimento. Além disso, Camila Farani é nacionalmente conhecida como um dos “tubarões” do reality show “Shark Tank Brasil”, programa televisivo que apresenta empreendedores e seus negócios a investidores (tubarões) que podem fazer propostas de investimento nesses empreendimentos.

Ao final da consultoria com Camila Farani, a T3 concorrerá, junto com as outras nove empresas, a uma premiação ainda desconhecida. Animados, os sócios da startup veem nesse acompanhamento uma possibilidade para um melhor desempenho.

“Ganhar ou ficar como destaque de alguma coisa é só um reflexo do que a gente vem trabalhando. Nós achamos que o que deve ficar de maior valor, além do networking, é entender esse mundo e aproveitar a oportunidade”, declara Henrique Granja, um dos sócios da T3.