Notícias

Inova Metrópole recebe certificado de Centro de Referência durante evento em Brasília

06/12/2018 | Ascom/IMD | INOVA | EMPREENDEDORISMO



 

A Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital, recebeu hoje de manhã, em Brasília, o certificado de Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne). O reconhecimento representa a constatação da capacidade da Inova para selecionar boas ideias e transformá-las em negócios inovadores e bem-sucedidos, de forma sistemática e repetida.

O Cerne é uma criação da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em parceria com o Sebrae. A entrega do certificado aconteceu na sede do Parque Tecnológico de Brasília (Biotic), mais especificamente na unidade do SebraeLab que funciona no local, durante um café da manhã.

A gerente executiva da Inova, Iris Pimenta, e a gerente operacional da incubadora, Raquel Maciel, receberam o certificado do presidente da Anprotec, José Alberto Sampaio Aranha, e da superintendente executiva da entidade, Sheila Oliveira Pires. Durante o evento, outras seis incubadoras receberam o Cerne (na categoria 1 do certificado).

O evento da Anprotec é realizado anualmente e neste ano a Associação fez um balanço da sua atuação ao longo de 2018, expôs suas metas para 2019 e realizou a entrega dos Cerne. O certificado costuma ser pré-requisito em vários editais para captação de recursos, voltados tanto para incubadoras como para empresas que delas fazem parte, de modo que deve abrir novas oportunidades para a Inova.

O Cerne foi atribuído à incubadora após a realização de uma auditoria em outubro deste ano, cujo resultado foi divulgado no dia 12 de novembro. Até o evento de hoje, apenas outras 17 incubadoras eram certificadas pela Anprotec em todo o Brasil. 

Parque Tecnológico realiza evento para integrar pessoas e empresas de seu ecossistema de tecnologia

03/12/2018 | Ascom/IMD | EVENTO



Troca de experiências, conversa descontraída, comemoração, oportunidade de negócios: o evento Breja and Business, promovido pelo Parque Tecnológico Metrópole Digital na última sexta-feira (30), foi tudo isso e um pouco mais.

Ocorrido na área de eventos da Arena das Dunas, no Lounge Bossa Nova, o happy hour reuniu as empresas que já estão no Parque e 10 outras que estão sendo prospectadas para fazer parte de sua estrutura, além de marcas do varejo e do comércio potiguar.

“Nosso objetivo aqui é conectar grandes marcas de Natal com as grandes marcas do Parque Tecnológico, além de também ser, sobretudo, um evento de confraternização, que inclui os que fazem o Instituto Metrópole Digital”, contou o diretor do Parque, Anderson Paiva Cruz.

Ao falar sobre motivos para comemoração, ele lembrou, dentre outros, que o Parque já atingiu a marca de 31 empresas credenciadas, com apenas pouco mais de um ano de funcionamento. O diretor também fez questão de afirmar que o evento não seria possível sem o apoio de 14 empresas potiguares, além da própria Arena das Dunas e do Sebrae.

Diretor do Parque Tecnológico, Anderson Cruz destacou que um dos objetivos do evento foi conectar grandes marcas de Natal com grandes marcas do Parque

 

Descontração

Em clima de descontração, o Breja and Business teve música ao vivo, equipamentos de jogos como tênis de mesa e totó, buffet e muita conversa e comemoração. Em meio ao evento, Anderson Cruz fez uma fala de agradecimento aos apoiadores e empreendedores presentes.

Além disso, ele realizou uma homenagem aos membros da equipe do próprio Parque e do Instituto Metrópole Digital, chamando todos os que estavam no ao local para que se reunissem e recebessem uma salva de palmas pelo trabalho desenvolvido ao longo do ano.

Descontração, com música ao vivo e jogos, marcaram o clima de bate-papo e comemoração do happy hour 

 

Presente ao evento, o gerente da Unidade de Inovação e Tecnologia do Sebrae-RN, João Bôsco Freire, ressaltou a parceria do órgão com o Parque Tecnológico: “Hoje o Sebrae é empolgado e feliz que com um ano o Parque já esteja consolidado, em função da quantidade de empresas que já tem”, afirmou ele.

O gerente do Sebrae ainda elogiou o happy hour. “De repente você tira as pessoas de um local tradicional e traz para cá, onde não tem palestra e o evento consiste em ir participando das rodas, conversando. E isso gera negócios, porque é conhecimento que está sendo trocado”.

Empreendedores

A forma de enxergar o evento de Bosco Freire é semelhante da de empreendedores que estiveram presentes, como foi o caso do representante da empresa Construtor Digital, Bruno Marinho.  “Aqui a gente pode conhecer boa parte das empresas, das caras que fazem parte do Parque e visualizar quem está ao redor de você”, avaliou ele.

Empresas e apoiadores foram essenciais para a realização e sucesso do Breja and Business

 

Já para o representante da Mix Internet, Eriko Batista, “o evento acaba promovendo uma conexão entre empresas que estão em diferentes fases e isso é positivo para a gente que necessita dessa troca de ideias, o que pode contribuir para o nosso ecossistema de tecnologia”, disse.

O diretor de tecnologia da startup Futebol Interativo, Airton Neto, também ressaltou a possibilidade de trocas de vivências que o Breja and Business proporcionou. “Ao mesmo tempo em que podemos obter experiência com quem já está mais consolidado, também podemos conversar e ajudar empresas que estão começando agora”, comemorou.

Inova fecha parceria com Startse para oferta de cursos às empresas incubadas e pré-incubadas

20/11/2018 | Ascom/IMD | INOVA



A Inova Metrópole, incubadora do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), fechou uma parceria com a empresa StartSe, que funciona como uma plataforma e comunidade online para startups. O objetivo é oferecer condições especiais para as empresas incubadas terem uma formação complementar sobre empreendedorismo.

Assim, as empresas pré-incubadas da Inova Metrópole vão receber um cupom de 50% de desconto para o curso “Startup de A a Z”, enquanto as que passarem da pré-incubação para o status de incubadas irão ganhar gratuitamente o curso “A nova Economia”.

A StartSe também realiza eventos e oferece outros cursos, como o Invest Class, que é um treinamento reunindo empreendedores e investidores para aprender os segredos da captação de investimento. A empresa busca prover “tecnologias e serviços para informar, educar e conectar as pessoas, para assim estarem preparadas a desenvolver e realizar negócios da Nova Economia”.

 

Inova Metrópole comemora festas de fim de ano com Meetup

19/11/2018 | Ascom | INOVA



Para confraternizar e marcar o encerramento das atividades de 2018, a Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital vai promover um Meetup com o tema Sucesso do Cliente, ministrado por Anderson Araújo, da Inovall, e Marcus Borges, da Mix Internet.

O evento acontece no dia 4 de dezembro, a partir das 16h30 no hall do 4º pavimento do IMD e é voltado para os participantes das empresas incubadas e pré-incubadas da Inova.

Inova Metrópole é reconhecida como Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos

14/11/2018 | Ascom/IMD | INOVA



 

A Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital, foi reconhecida nesta semana como um Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne). A certificação representa a constatação da capacidade da Inova para selecionar boas ideias e transformá-las em negócios inovadores e bem sucedidos, de forma sistemática e repetida.

O Cerne é uma criação da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em parceria com o Sebrae. O reconhecimento foi atribuído à incubadora após a realização de uma auditoria em outubro deste ano, tendo o resultado sido divulgado na última terça-feira (12). A cerimônia de certificação vai acontecer em Brasília, no dia 6 de dezembro.

Existem apenas 17 incubadoras certificadas pela Anprotec em todo o Brasil. No Rio Grande do Norte, além da Inova, estão presentes outras duas: a ITNC, do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), que recém completou 20 anos de história; e a Iagram, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), que tem mais mais de 10 anos de existência.

“Somos uma incubadora muito jovem que já conseguiu esse nível de maturidade, e isso é muito bom do ponto de vista dos editais, porque eleva as potencialidades de captação de recursos, tanto para a incubadora como para as empresas incubadas”, comemora a gerente executiva da Inova, Iris Pimenta. A incubadora tem apenas cinco anos de funcionamento.

Segundo outro membro da equipe da Inova, a gerente operacional Raquel Maciel, a certificação do Cerne é inclusive exigida para que se possa participar de alguns editais de fomento para empresas, o que deve abrir novas oportunidades para a incubadora do Parque Metrópole.

O objetivo da Anprotec é estimular as incubadoras a incorporar boas práticas, garantindo sustentabilidade, com melhores práticas, melhor funcionamento e bom atendimento com os serviços oferecidos aos incubados.

Devido à complexidade e ao número de variáveis, o Cerne é estruturado em um modelo que julga a capacidade da incubadora em gerar empreendimentos de sucesso de maneira contínua. Para avaliar esse critério e outros, foram criados quatro níveis crescentes. A Inova foi qualificada no primeiro deles.

 

 

Quadra Digital impulsiona negócios com estratégias de comunicação

14/11/2018 | Elis Lopes | INOVA | EMPREENDEDORISMO



Utilizar estratégias de marketing e tecnologia para revolucionar negócios é o objetivo da Quadra Digital, agência de marketing total service, voltada para o planejamento e direcionamento estratégico de empresas, startups e profissionais liberais. A Quadra elabora, planeja, mede e direciona os seus clientes, sempre utilizando uma metodologia dinâmica e com foco na potencialização de resultados.

O grande diferencial da agência é a sua visão global da realidade do cliente e a oferta de um arsenal de serviços e recursos que abrangem todos os segmentos da comunicação, sempre visando o impulsionamento de negócios e marcas. Dessa forma, a Quadra Digital oferece os serviços de criação, design, marketing digital, projetos web, mídias e redes sociais e marketing de conteúdo, iniciando no diagnóstico do seu cliente, passando pela consultoria e culminando na elaboração de estratégias de comunicação eficazes para cada tipo de negócio.

A equipe é formada por profissionais de design, tecnologia da informação, publicidade e outras áreas da comunicação. O time conta com o apoio de seis colaboradores, exercendo as funções de redatores, desenvolvedores e diretor de arte. Já a administração da startup fica a cargo dos sócios Michelly Felipe, diretora de atendimento, e Beto Canuto, diretor de criação e planejamento.  

Pra Michelly, o grande objetivo da atuação da Quadra Digital junto aos seus clientes é a elaboração e implementação de métodos dinâmicos voltados para o crescimento do negócio. “Atendemos em todos os aspectos da comunicação. O que for da necessidade do cliente, nessa área, nós realizamos sempre com foco no resultado positivo, seja ele o aumento de vendas, a maior visibilidade ou a mudança de posicionamento.”

A agência Quadra Digital existe há quatro anos e atualmente faz parte do time de empresas da Inova Metrópole, incubadora do Parque Tecnológico Metrópole Digital.

Gynga atua na gestão de energia elétrica e desenvolve tecnologia própria para área

01/11/2018 | Germano Freitas | INOVA | EMPREENDEDORISMO



Uma das primeiras empresas potiguares a trabalhar com a gestão de energia elétrica, envolvendo as áreas de eficiência, direito e monitoramento, a Gynga Energia atua com a economia energética tanto em consumo como em tributos. Fundado em 2015, o empreendimento já é uma referência no mercado e, desde que entrou na incubadora Inova Metrópole, em 2017, já firmou 15 contratos para administrar e otimizar gastos energéticos de outras empresas norte-rio-grandenses.

A Gynga oferece como serviços a elaboração de projetos, consultoria e comercialização de equipamentos, sempre com foco na economia absoluta, principalmente para clientes de médio e alto consumo. Além da criação, desenvolvimento e instalação de projetos fotovoltaicos. Dessa forma, ela se apresenta como o braço de gestão elétrica de pequenas, médias e grandes empresas, com participação efetiva dos sócios na realização dos serviços prestados.

A equipe é composta por quatro engenheiros eletricista formados na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e um matemático vindo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Os sócios se dividem entre os segmentos da empresa: Déo Queiroz Carlos e Gabriel Wanderley são responsáveis pelo desenvolvimento de hardware e software para monitoramento de energia; Marcelo Gomes e Eduardo Costa focam na esco (eficiência energética); enquanto Rafael Muniz é dedicado às questões de direito de energia.

Atualmente, o projeto principal da Gynga é o desenvolvimento de uma tecnologia própria: um medidor eletrônico de fácil adaptação e instalação, para ser utilizado nos quadros de alimentação e distribuição das unidades consumidoras.

A intenção é poder separar a utilização de energia de forma detalhada, como explica o responsável pelo setor de eficiência, Marcelo Gomes: “Vamos supor que uma empresa de reciclagem tenha o setor de lavagem, de trituração e de extrusão. Nossa ideia é desenvolver o monitoramento específico de cada um deles, a fim de descobrir exatamente onde existem oportunidades de economizar”.

O medidor é um circuito eletrônico integrado com um software para aquisição de dados e lançamento em nuvem. Já em fase de testes, a tecnologia deve entrar em regime comercial no início de 2019.

Para chegar até os clientes, a Gynga realiza um estudo tributário em busca de organizar e encontrar benefícios e enquadramento fiscal para reduzir as contas dos seus contratantes. Com um bom ano, a expectativa é fechar 2018 com uma entrada em torno de R$ 400 mil.

Startup BlinDog participa do programa de TV Altas Horas

06/11/2018 | Ascom/IMD | INOVA | EMPREENDEDORISMO



A atuação da startup BlinDog vai ganhar destaque na mídia nacional. É que a empresa, pré-incubada da Inova Metrópole, será tema de um quadro sobre empreendedorismo do programa Altas Horas, da Rede Globo.

Uma das sócias da empresa, Luana Wandecy, viaja hoje (6) a São Paulo para participar da atração comandada pelo apresentador Serginho Groisman. A edição com a participação dela deve ir ao ar no próximo sábado.

A BlinDog é uma empresa que desenvolve produtos tecnológicos voltados para o bem-estar e qualidade de vida de cachorros. O seu primeiro item é a “coleira inteligente”, que guia os animais cegos para que eles consigam desviar de obstáculos.

O equipamento funciona por meio da identificação desses obstáculos, emitindo alertas vibratórios no momento em que o animal deve desviar, condicionando-o ao estímulo negativo da vibração.

Convite

Luana conta que a indicação para participar do programa foi feita à Globo pelo Sebrae nacional. A partir disso, a produção do Altas Horas entrou em contato com ela para colher detalhes sobre a história da startup e da coleira inteligente. Após algumas ligações, veio o convite.

A conteúdo que será exibido no programa vai contar inclusive com imagens de bichinhos de estimação que já usam a coleira. Luana diz que está feliz e ansiosa com a participação e a repercussão positiva que a visibilidade poderá trazer para a empresa.

Além dela, que é engenheira da computação e mestre em Tecnologia da Informação, a startup também conta com a sócia Natália Dantas, administradora e chefe de planejamento da empresa.

Prêmios

A BlinDog tem colecionado prêmios em eventos de empreendedorismo Brasil afora. O último deles foi concedido em agosto, ao ter sido selecionada como uma das 12 melhores empresas no programa de capacitação da InovAtiva Brasil, maior aceleradora de startups do país.

Em junho foi a vez de ser escolhida para participar do programa Brazilian Pharma Solutions, voltado para incentivar startups com potencial inovador e promissor. O programa é realizado em parceria entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação da Indústria Farmoquímica e de Insumos Farmacêuticos (Abiquifi).

Startup cria plataforma que está revolucionando mercado de fotos de surfe

01/11/2018 | Elis Lopes | INOVA | EMPREENDEDORISMO



Atuar como loja virtual e rede social ao mesmo tempo, a fim de conectar fotógrafos e amantes do surfe. Essa é a missão do Surfmappers, uma startup desenvolvida com o objetivo de colaborar na integração entre amadores e profissionais da fotografia e os praticantes e admiradores do surfe, funcionando como um marketplace para todo esse público.     

O Surfmappers é um site gratuito no qual fotógrafos de qualquer lugar do mundo podem expor suas fotos e comercializá-las, com toda a segurança de venda e direitos às imagens. Em contrapartida, surfistas podem encontrar suas fotos e adquiri-las.

Para usar dos benefícios da plataforma basta realizar um cadastro, seja você fotógrafo ou surfista. Feito isso, o fotógrafo poderá administrar seu próprio portfólio dentro da plataforma, que funciona como um perfil, e criar sua rede de seguidores, tendo suas fotos em alta resolução e com garantia de proteção.         

Em correspondência, o surfista cadastrado pode pesquisar por fotos, realizando uma busca capaz de localizar a imagem desejada, usando para isso filtros como data, horário e local. 

Atualmente a plataforma conta com mais de 1 milhão de fotos, oriundas de 17 países. Além disso, mais de 50 mil surfistas (espalhados em diferentes partes do globo) já se cadastraram e permanecem ativos. Os usuários podem marcar uns aos outras em fotos, agendar sessões de fotografias e seguir tanto surfistas como fotógrafos, de modo a saber das novidades do trabalho deles, como numa rede social.

A ideia de desenvolver o serviço surgiu da dificuldade que os fotógrafos de surfe tinham em vender suas fotos para os praticantes do esporte, e, da mesma forma, a dificuldade que os surfistas tinham de encontrar bons fotógrafos.     

A startup participa desde 2016 dos programas da Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital, e atualmente encontra-se inserida em seu programa de incubação.     

A equipe da Surfmappers é composta pelos graduados em Tecnologia da Informação (TI) Yuri Alessandro, Lucas Limeira, Elton Viana e Yves Cabral, pela jornalista Andrezza Pessoa, a design Ana Helena Peres e Victor Fernandes, mestre em Engenharia da Computação e CEO da empresa.  

Saiba mais sobre o trabalho da Surfmappers neste LINK

Ecossistema de inovação e incubadoras de empresas são temas de Congresso de Empreendedorismo

17/10/2018 | Ascom/IMD | EVENTO | EMPREENDEDORISMO



O Instituto Metrópole Digital (IMD) irá sediar até amanhã (18) a segunda edição do Congresso de Empreendedorismo Universitário (CEU), evento organizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em parceira com várias outras instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte.

Tendo tido sua abertura na noite de ontem (16), o evento teve uma a programação que contou com várias palestras e mesas redondas ao longo do dia hoje. Uma delas debateu o tema do “Ecossistema de apoio ao empreendedorismo” e contou com o vice-diretor do Parque Tecnológico Metrópole Digital, Gustavo Coelho, como expositor.

A forma de funcionamento do Parque Tecnológico e de sua incubadora, a Inova Metrópole, foi um dos tópicos abordados por Gustavo Coelho, que também destacou o papel dessas entidades para os empreendedores potiguares. “O Parque tem o objetivo de ser uma alavanca para o empreendedorismo do Estado, mas também contribuir com o desenvolvimento tecnológico e humano”, ressaltou.

Além de Gustavo Coelho, também fizeram exposições representantes no evento do Sebrae/RN e da Fiern, Carlos Von Sohsten e Djalma Barbosa da Cunha, respectivamente. Eles falaram sobre a atual conjuntura do ambiente econômico norte-rio-grandense e destacaram o papel da Sebrae e da Fiern como promotores do empreendedorismo.

Aceleração

Outro evento importante ocorrido dentro do congresso, na manhã de hoje, foi a mesa redonda intitulada “Da aceleração de ideias à incubação de negócios: experiência das incubadoras”, que contou com a participação da gerente executiva da Inova Metrópole, a professora Iris Pimenta.

Ela fez uma exposição acerca do conceito de empreendedor, desmitificando a ideia de que esse papel depende da posse de um CNPJ ou empresa, mas estado mais próximo de uma forma de pensar e se portar. Iris ainda discorreu sobre tópicos como as diferenças entre aceleradoras e incubadoras de empresas e a evolução da Inova Metrópole ao longo dos últimos quatro anos.

Junto à professora do IMD estavam presentes outros representantes de incubadoras do Rio Grande do Norte: Gláucio Brandão, da Inpacta, da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT); Claudine Carvalho, da INTC, do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN); e Ygo Beserra, da Iagram, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa).

Dentre os temas abordados pelos participantes, estiveram o tempo que leva para uma empresa se graduar em uma incubadora e os trâmites para registros de patentes. Além disso, também se discutiu a dificuldade para a implementação de processos de incubação e da cultura do empreendedorismo dentro de ambientes universitários.

O diretor da Inpacta, Gláucio Brandão, por exemplo, disse que o principal obstáculo que teve nessa área foi a falta de comunicação entre cursos e áreas de conhecimento dentro da universidade. Comentando o tema, o diretor da Iagram, Ygo Beserra, afirmou que “existe falta de incentivo dentro da universidade para empreender; a graduação te forma para ser empregado”, analisou.

Além da UFRN, o evento é organizado pelo Instituto Federal do Rio Grande (IFRN), a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), por meio de suas pró-reitorias de Extensão e Pesquisa.

O encerramento do Congresso de Empreendedorismo Universitário será realizado nesta quinta-feira (18), com o “Workshop e Premiação da Maratona 100 Projetos em 100 Dias”, que acontece no auditório do IMD, a partir das 8h.