Empresas

incubada (16)

BOMÉDICO

incubada

Bomédico oferece plataforma para agilizar e facilitar marcação de exames e consultas médicas Startup da Inova Metrópole já conta com 160 clínicas ou profissionais cadastrados em seu serviço Marcar uma consulta parece tarefa simples, mas a demora e dificuldade em conseguir uma data ou médico disponível pode fazer com que o interessado adie o quanto puder essa providência. Foi pensando em superar esse e outros empecilhos, que um grupo de empreendedores desenvolveu o Bomédico, aplicativo que ajuda a agendar consultas e exames de forma rápida e prática. A aplicação disponível para os sistemas Android e iOS é o serviço oferecido pela startup, inserida no programa de incubação da Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital. Por meio da plataforma, o usuário pode encontrar o profissional de saúde mais próximo, marcar a consulta desejada 24h por dia e ainda receber notificações sobre o dia da consulta, evitando assim esquecer o compromisso. E também funciona para remarcações e cancelamentos. Ingressando no programa de incubação da Inova em janeiro de 2018, a empresa já conta com 160 clínicas e profissionais da área da saúde cadastrados em seu aplicativo, tais como médicos, odontólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, ginecologistas, entre outros. Além disso, o app também dispõem da marcação de 50 tipos de exames. O Bomédico também permite que mais de uma pessoa faça uso do mesmo aplicativo. Dessa forma, ao se cadastrar, o usuário pode registrar familiares ou amigos. Para inscrever-se no app, o interessado basta informar nome, telefone, e-mail e criar uma senha para login. Na pesquisa pela consulta, pode-se escolher a cidade, especialidade, subespecialidade e gênero. A equipe realizadora do app é composta pelo CEO da Bomédico, Rilton Campos, o seu gerente comercial, André Tinoco, Bruno Tinoco, o investidor Ângelo Antônio e o advogado André Medeiros, acompanhados de um time de quatro funcionários. “Nossa plataforma não objetiva apenas marcar consultas, mas melhorar a experiência do paciente. Nossa ideia é criar um ecossistema de saúde”, explica Rilton Campos. Saiba mais sobre o trabalho do Bomédico no site: www.bomedico.com.br.

Camajus

incubada

Camajus: justiça a um clique de distância Atualmente, resolver algo na justiça pode ser um verdadeiro desafio. Entregar documentos, descolar-se até outra cidade ou estado para reunir-se com advogados, enfrentar processos burocráticos para resolver litígios. São muitos os entraves que demandam tempo e trabalho de quem necessita ou trabalha com a justiça. Foi pensando nessa dificuldade que a Camajus, empresa incubada da Inova Metrópole, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), desenvolveu uma plataforma inovadora: a câmara arbitral online. A ideia é fazer com que o processo de arbitragem e mediação sejam instrumentos efetivos de acesso à justiça. Para isso, a empresa criou uma plataforma acessível que permite ingresso remoto a salas virtuais de interação em que, com auxílio de especialistas, se resolvem diferentes tipos de litígios, sem a necessidade dos interessados se deslocarem até um ambiente físico para a resolução dos problemas. “É o caso de uma empresa de telefonia que tem que resolver um conflito jurídico em um outro estado. Ao invés de se deslocar até a outra cidade, a empresa pode solucionar o litígio acessando, na própria sede, a plataforma online”, exemplifica José Nicodemos de Araújo Júnior, CEO da Camajus. Com a câmara de arbitragem, é possível enviar documentos, mandar mensagens de texto, entre outras funcionalidades, sendo necessário apenas que o usuário tenha acesso à internet no dia e hora pré-acordados com a parte interessada. “Tudo isso faz da arbitragem online uma solução muito mais cômoda do que as vias tradicionais da justiça, já que o cliente pode resolver conflitos de uma forma muito mais econômica e rápida”, avalia o CEO. Além disso, a Camajus oferece serviços de negociação direta e de mediação. Com eles, os usuários podem optar por resolver seus litígios com intermédio profissional (mediador) ou por meio de acordo direto com as partes interessadas. Tudo isso de forma online e com toda a oficialidade jurídica requerida para esse tipo de resolução. Ultrapassando fronteiras Segundo José Nicodemos, a Camajus, que surgiu em 2018, nasceu a partir de uma ideia de se fazer uma câmara de arbitragem física, novidade no mercado potiguar. “Mas, em conversa com nossos sócios, pensamos em uma ideia que nos fizesse ir além do mercado local, oferecendo o serviço, também, para outros Estados”, conta Nicodemos. Com menos de um ano de atuação no mercado, a empresa incubada já tem percebido retornos positivos por parte dos clientes. “Buscamos agora atender grandes empresas, corporações de grande porte que se beneficiariam bastante com a nossa plataforma devido à alta quantidade de conflitos que esse tipo de negócio tem naturalmente”, conta o CEO. Para conhecer mais sobre a empresa Camajus, acesse o seu portal: www.camajus.com.br.

Ecomp Tecnologia

incubada

Criada para gerar soluções inteligentes em negócios através da tecnologia, a Ecomp  – SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS EM NEGÓCIOS resolveu dar um passo à frente quando passou a desenvolver uma plataforma para atingir um público mais amplo, o usuário comum de informática. Foi assim que surgiu o seu serviço de marketplace, que objetiva conectar profissionais que oferecem assistência técnica a clientes individuais. A nova plataforma em desenvolvimento pela Ecomp, no entanto, convive bem com sua principal atividade atualmente, que é a oferta, por meio de contratos empresariais, de um serviço que cuida de todas as necessidades de TI de uma empresa. Dessa forma, são realizados desde a aplicação e o gerenciamento de backups automáticos, a estruturação de redes de computadores, ou ainda uma assessoria em inovações. Além disso, a Ecomp também presta o suporte contínuo a seus clientes, cuidando do funcionamento e da qualidade do serviço. E, apesar do contrato empresarial ser seu forte, suas atividades também abrangem o atendimento técnico de informática para clientes em geral, como é o caso de manutenção de dispositivos ou instalação remota de aplicações. Assim, a empresa mantém uma economia saudável, tendo movimentado cerca de R$ 300 mil no ano passado e concluído 230 atendimentos nos últimos seis meses. Além disso, já cumpriu mais de 1100 ordens de serviços avulsos desde que ingressou na incubadora Inova Metrópole, em 2016. E também já firmou 33 contratos empresariais desde o seu surgimento, em 2015. Marketplace A plataforma em desenvolvimento pela empresa, que visa criar um marketplace que ligue clientes a técnicos de informática, é única no Rio Grande do Norte. Como os profissionais são aprovados por meio de cadastro, tem a vantagem de passar garantia e segurança aos clientes. Outra vantagem é a assistência remota, através de aplicação fornecida pela EComp para profissional e cliente. Por hora, no entanto, a plataforma encontra-se desativada para que a empresa possa realizar aprimoramentos. A ideia é que passe a ser completamente automatizada, tanto para os clientes como para os técnicos. Mas o serviço não deixou de ser prestado, já que os clientes ainda podem procurar a Ecomp mesmo no caso de serviços mais simples e para pessoas físicas. Hoje, a empresa com conta com 12 colaboradores - entre estagiários, técnicos, sócios e demais prestadores de serviço. Foi fundada por Francisco Queiroz e Lair Solano, ambos formados em Engenharia da Computação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A companhia foi uma iniciativa de Francisco, que planejava voltar a empreender, depois que teve um serviço informal de Tecnologia da Informação (TI) antes da graduação. Assim, juntou-se ao seu colega de turma e formou a sociedade atual. Saiba mais sobre a Ecomp no site www.ecomptec.com.br.

E-paper

incubada

E-paper Festa: temas personalizados para a sua comemoração   Um modelo de negócio inovador para venda de decoração de eventos. É isso o que oferece a E-paper Festa, empresa inserida no programa de incubação da Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico. A empresa atua por meio de uma plataforma online, na qual temas variados – que vão de aniversários infantis até jantares executivos – são disponibilizados para downloads aos clientes, com todas as instruções necessárias para montar e usar as peças. Assim, o serviço se destaca pelo acesso fácil e rápido ao produto desejado. Outro serviço que a plataforma permite é a personalização dos temas, para conter detalhes como nomes e demais informações específicas, além de disponibilizar orientações e recomendações, como o tipo de papel a ser usado e processos de montagem. Para conhecer os modelos de aquisição e comprar os produtos, você deve se cadastrar no endereço eletrônico da plataforma. A E-paper, no entanto, também realiza diretamente a organização e decoração de eventos, mas só que de maneira restrita à região da Grande Natal. Com a metodologia de venda online, o negócio se volta para dois públicos, ofertando pacotes que atendem tanto a quem deseja montar a própria festa como as profissionais da área. Para isso, a empresa vende um acesso temporário, que pode ser de um mês a um ano, com diferentes quantidades de downloads. A sócia da E-paper Festa, Ana Flávia Maia, é formada na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), no curso de arquitetura. Atualmente a empresa está instalada na sede do Instituto Metrópole Digital (IMD). Para mais informações sobre a E-paper Festa e seus serviços, acesse http://loja.e-paperfesta.com.br/

Futebol Interativo

incubada

Futebol Interativo leva tecnologia para educação profissional do esporte mais popular do Brasil Focada na capacitação profissional de quem se interessa por futebol e quer seguir carreira na área, a Futebol Interativo tem como diferencial a inovação. Sua plataforma online funciona como sala de aula, com transmissões ao vivo, serviço para tirar dúvidas e fórum exclusivo para cada turma. Combinado a isso, contam com material próprio e exclusivo, criado pelos professores de cada curso. As turmas têm seis semanas de aulas, além de período para produção de trabalhos e demais atividades, levando ao certificado de 30 horas. Em geral, o foco da empresa são as aulas online, por meio de plataforma própria, mas também são promovidos eventos no offline, presencialmente. Seguindo além da capacitação, a FI tem conseguido oportunidades para seus alunos. Na primeira turma de Análise de Desempenho, aquele que mais se destacou conseguiu um estágio no clube Benfica, de Portugal. Já na segunda turma, boas chances no Benfica, no América de Natal e no Esporte Clube Bahia. O seu diretor de tecnologia, Airton Neto estudante do Bacharelado em Tecnologia da Informação do Instituto Metrópole Digital/UFRN, explica que o formato de trabalho da empresa surgiu a partir das reflexões que foram feitas sobre a concorrência na área. “Nós vimos que havia ainda uma formação muito restrita, que era em sua maioria presencial. As oportunidades de formação online eram poucas”, conta ele. Os primeiros cursos desenvolvidos pela Futebol Interativo tiveram foco em pessoas que estavam terminando sua graduação, que tinham perfil mais jovem e interesse de trabalhar com futebol. Mas com o tempo passaram a abranger outros públicos, formado por pessoas que já estão no mercado ou que ainda não iniciaram a graduação. “O público-alvo, de forma geral, é o aluno ou profissional que está se direcionando para o mercado do futebol, mas também pode ser o curioso e apaixonado pelo esporte, que quer conhecer um pouco mais sobre aquela paixão que ele tem de uma maneira diferente”, explica George Klinger, um dos sócios da empresa. Para conhecer mais sobre a empresa acesse www.futebolinterativo.com.br.

GYNGA

incubada

Gynga atua na gestão de energia elétrica e desenvolve tecnologia própria para área Empresa é incubada da Inova Metrópole desde 2017 Uma das primeiras empresas potiguares a trabalhar com a gestão de energia elétrica, envolvendo as áreas de eficiência, direito e monitoramento, a Gynga Energia atua com a economia energética tanto em consumo como em tributos. Fundado em 2015, o empreendimento já é uma referência no mercado e, desde que entrou na incubadora Inova Metrópole, em 2017, já firmou 15 contratos para administrar e otimizar gastos energéticos de outras empresas norte-rio-grandenses. A Gynga oferece como serviços a elaboração de projetos, consultoria e comercialização de equipamentos, sempre com foco na economia absoluta, principalmente para clientes de médio e alto consumo. Além da criação, desenvolvimento e instalação de projetos fotovoltaicos. Dessa forma, ela se apresenta como o braço de gestão elétrica de pequenas, médias e grandes empresas, com participação efetiva dos sócios na realização dos serviços prestados. A equipe é composta por quatro engenheiros eletricista formados na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e um matemático vindo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Os sócios se dividem entre os segmentos da empresa: Déo Queiroz Carlos e Gabriel Wanderley são responsáveis pelo desenvolvimento de hardware e software para monitoramento de energia; Marcelo Gomes e Eduardo Costa focam na esco (eficiência energética); enquanto Rafael Muniz é dedicado às questões de direito de energia. Atualmente, o projeto principal da Gynga é o desenvolvimento de uma tecnologia própria: um medidor eletrônico de fácil adaptação e instalação, para ser utilizado nos quadros de alimentação e distribuição das unidades consumidoras. A intenção é poder separar a utilização de energia de forma detalhada, como explica o responsável pelo setor de eficiência, Marcelo Gomes: “Vamos supor que uma empresa de reciclagem tenha o setor de lavagem, de trituração e de extrusão. Nossa ideia é desenvolver o monitoramento específico de cada um deles, a fim de descobrir exatamente onde existem oportunidades de economizar”. O medidor é um circuito eletrônico integrado com um software para aquisição de dados e lançamento em nuvem. Já em fase de testes, a tecnologia deve entrar em regime comercial no início de 2019. Para chegar até os clientes, a Gynga realiza um estudo tributário em busca de organizar e encontrar benefícios e enquadramento fiscal para reduzir as contas dos seus contratantes. Com um bom ano, a expectativa é fechar 2018 com uma entrada em torno de R$ 400 mil. Saiba mais sobre a Gynga no site www.gynga.com.br.

INOVALL

incubada

Inovall cria plataforma que reúne dados estratégicos do mercado Para iniciar um novo negócio, é preciso informação. Dados sobre o mercado, comportamentos do consumidor e público alvo são primordiais para quem deseja se inserir no mundo empreendedor e se destacar dos demais concorrentes. Foi esse fato o que orientou Anderson Igor Câmara a criar a Inovall. Empresa incubada na Inova Metrópole – incubadora do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) – a Inovall desenvolveu uma plataforma online que reúne informações de mais de 200 fontes de dados diferentes, como Receita Federal, secretarias, entidades do ramo de telefonia, entre outras. Com a plataforma, clientes recebem informações estratégicas sobre seus nichos de mercado, hábitos de consumo, perfis de compradores, entre outras referências fundamentais para dar suporte a quem empreende. “Quem trabalha com o comércio, por exemplo, receberá informações sobre onde, quando e para quem vender. Tudo isso de modo automatizado pela plataforma. A nossa proposta é oferecer dados que façam o cliente estar sempre a um passo à frente no seu nicho de mercado”, aponta Anderson Câmara, CEO da Inovall. Desenvolvida para ser acessada por qualquer dispositivo, fixo ou móvel, a plataforma da Inovall oferece informações a qualquer perfil de usuário, “basta alguns cliques para saber onde investir”, aponta o CEO. De acordo com Anderson Câmara, a solução é válida não apenas para empresas privadas, mas também para setores governamentais. “Informação é um produto valioso e hoje em dia não tem como fugir disso, seja no ambiente público ou privado. Se antes era preciso um longo trabalho para identificar as oportunidades do mercado, hoje nossa plataforma faz isso automaticamente”, avalia o CEO. Atuação nacional Trabalhando com tecnologia da informação (TI) desde os 13 anos idade, Anderson Câmara enxerga na ferramenta de levantamento de dados um produto com futuro promissor. “Estamos falando um produto que traz a oportunidade do usuário se antecipar ao mercado. A tendência é que cada vez mais pessoas utilizem essa ferramenta”, prevê Anderson Câmara. Atualmente, a Inovall atua não só no mercado potiguar, mas em todo o Brasil. Graças ao modelo de negócios online, a empresa incubada pode atender clientes de qualquer local do país e do mundo.  “Nossa atuação hoje é nacional. Para o futuro, vemos muita oportunidade de crescimento nas regiões sul e sudeste do Brasil, onde o mercado está bastante aquecido”, informa o CEO.   Saiba mais sobre a Inovall no site: www.inovall.com.br

Mix Internet

incubada

Paytour: mais visibilidade e vendas para o turismo receptivo Viajar não é mais como antigamente. Na era da informação – em que a visibilidade online é fundamental – a experiência de viajar começa com o planejamento inicial, em sites e aplicativos que auxiliem na idealização e programação de todas as atividades, como roteiros, reservas e hotéis, entre outros. Esse perfil de consumo dos viajantes inspirou os sócios Marcus Borges e Ériko Batista da empresa Mix Internet a criar o Paytour, plataforma de web voltada a empresas de turismo. A proposta do Paytour é oferecer aos fornecedores de passeios e atividades turísticas a criação de um site com interface personalizada capaz de desempenhar vendas e reservas online. Segundo Marcus Borges, sócio da empresa que atua na área de Tecnologia da Informação (TI) há 20 anos, a ideia surgiu de uma mudança no perfil dos turistas. “Hoje o turista faz seu próprio planejamento, faz reservas de hotéis, faz programações. Essa antecipação também acontece com os passeios e, para isso, uma plataforma web é ideal”, aponta o sócio. Segundo Marcos Borges, a criação do Paytour resulta da atuação flexível da Mix Internet, que há 10 anos desenvolve produtos como aplicativos e sites para diferentes perfis de clientes. “Já era de se esperar que o turismo, peça fundamental para a economia potiguar, fosse também alcançado pela nossa equipe”, conta Borges. Após pesquisas e acompanhamento das demandas trazidas pelos clientes da Mix Internet, a empresa percebeu que as mudanças promovidas pelas novas tecnologias geraram duas demandas principais às agências de turismo: a oferta de venda online de passeios e a necessidade de maior visibilidade em sites de busca.  “Com o Paytour, as agências recebem um site com visibilidade, encontrado facilmente em sites de busca como o Google, e que oferece a opção de venda online de passeios. É uma resposta às duas principais demandas”, aponta Borges. Atuação nacional De seu lançamento em 2016 até o momento, o Paytour já ultrapassou as barreiras potiguares e é utilizado em nove estados diferentes, como: Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, entre outros. Além disso, empresários brasileiros que atuam com turismo no Chile e na França também lançam mão da plataforma. Para Marcus Borges, a solução de TI tem um futuro promissor, graças ao avanço tecnológico e a mudança no perfil de consumo. “Na Europa, plataformas como o Paytour já são uma realidade e, assim como várias outras áreas da economia, essa tendência vai chegar aqui no Brasil. Nosso serviço já se antecipa a isso tudo”, conta o sócio. Saiba mais sobre a plataforma no site: paytour.com.br.