Empresas

todas (32)

Aquino & Bouzas Engenharia (A&B)

pré-incubada

A&B Engenharia oferece inovação no mercado de energia solar Com sol e calor durante todo o ano, Natal é uma cidade muito procurada pelas suas belas praias e pelo clima de verão. Mas a alta irradiação de luz solar se apresenta, também, como uma grande oportunidade de negócios. Foi pensando nisso que foi criada a Aquino & Bouzas Engenharia, empresa que oferece soluções na área de produção de energia solar e projetos de engenharia elétrica. Pré-incubada na Inova Metrópole, desde 2017, a empresa surgiu em 2016, durante uma inesperada conversa entre os engenheiros eletricistas Manuel Bouzas e Pedro Aquino, que mais tarde se tornariam sócios diretores. Segundo Bouzas, ambos procuravam, na época, a melhor forma de exercer suas profissões. Pensando em aproveitar as favoráveis condições climáticas de Natal e fazer uso disso como fator estratégico de negócios, foi dado o primeiro passo para a criação da startup. “Desenvolvermos a ideia inicial e oficializamos a empresa em junho 2017. A proposta é desenvolvermos soluções para problemas que encontramos no nosso nicho de mercado”, relata o diretor. Atualmente, a A&B Engenharia se destaca pelos projetos de engenharia elétrica, especialmente no que diz respeito à energia solar, seu carro chefe. A empresa oferece serviços que vão desde o planejamento inicial até a instalação e manutenção de usinas de energia solar. “Apesar de muitos acharem dispendiosa a instalação das usinas, todo o investimento resulta em um sistema de geração de energia alternativo de fácil manutenção e que garante o retorno financeiro ao cliente, especialmente nos casos em que a conta de energia supera os R$ 300”, aponta Manuel Bouzas. Além de energia solar, o conhecimento técnico adquirido pelos engenheiros permite à A&B Engenharia oferecer uma série de outros serviços. Dentre eles, destacam-se os projetos e instalação de grupos geradores, subestações, iluminação de segurança e diversos estudos e laudos técnicos em engenharia elétrica. Como forma de se destacar no mercado e oferecer inovação tecnológica, atualmente, parte do lucro gerado pela Aquino & Bouzas Engenharia é destinado ao desenvolvimento de um produto totalmente novo no Brasil, a plataforma Solarn.  O dashboard, que ainda está em fase de desenvolvimento, traz três principais vantagens no que diz respeito ao monitoramento da geração de energia solar. A primeira delas é possibilidade do acesso rápido e prático a informações por parte dos clientes. “Atualmente, para saber quanto de energia solar as usinas geram, o cliente precisa acessar uma série de sites diferentes de cada fabricante. Com o Solarn, todas as informações serão acessíveis em um só lugar”, informa o diretor. A segunda vantagem é a estimativa matemática de produção de energia. Com o Solarn, os clientes terão informações não apenas sobre a quantidade de energia gerada, mas também da estimativa matemática de produção dessa energia, obtida por meio de análises de fatores como temperatura, ambiente, vento, entre outros. Além disso, o dashboard prevê um sistema de alerta aos clientes caso a geração de energia não seja a esperada. “O usuário receberá uma notificação automática se a energia gerada pela usina não condizer com a estimativa matemática. Isso facilita bastante o monitoramento por parte dos clientes, que conseguirão saber, de modo fácil, se o sistema elétrico se encontra com algum problema”, avalia o sócio diretor. Segundo ele, esse mecanismo de alerta com baixo custo é novidade no mercado. Para mais informações sobre a Aquino & Bouzas Engenharia, acesse o site: www.aquinoebouzas.eng.br.

BlinDog

pré-incubada

BlinDog: produtos tecnológicos para o bem estar dos pets A Blindog, startup que vem ganhando cada vez mais destaque no cenário empresarial nacional e internacional, é uma empresa que nasceu do amor aos pets. A startup está inserida no programa de pré-incubação da Inova Metrópole e desenvolve produtos tecnológicos voltados para o bem estar e qualidade de vida dos cachorros. O seu primeiro item é a “coleira inteligente”, que guia os animais cegos para que eles consigam desviar de obstáculos. O equipamento funciona por meio da identificação desses obstáculos, emitindo alertas vibratórios no momento em que o animal deve desviar, condicionando-o ao estímulo negativo da vibração. A equipe da startup é formada por Luana Wandecy, engenheira da computação e mestre em Tecnologia e Inovação, e Natália Dantas, administradora e chefe de planejamento da empresa. A BlinDog foi criada no Startup Weekend em 2015, por meio do desenvolvimento da coleira, em 24 horas, durante uma competição. A ideia surgiu da necessidade que Luana observou em sua cachorrinha, Princesa, já idosa na época. “Eu tinha uma cachorra cega e ela batia muito nos móveis e nas paredes e eu não encontrei nenhuma solução que se adequasse a ela. A única que existia era um bambolê, que era pesado e pra ela não dava certo”, lembra a empresária. A solução criada por ela ganhou o segundo lugar na competição e, em 2017, um lugar na incubadora de empresas do Instituto Metrópole Digital (IMD). Por meio de seus produtos inovadores, a BlinDog tem colecionado prêmios em eventos de empreendedorismo Brasil afora, como por exemplo a premiação de destaque recebida, em 2018, no programa de capacitação em empreendedorismo inovador da InovAtiva Brasil, maior iniciativa de aceleração de startups do país. Seguindo o objetivo de se tornar referência em produtos tecnológicos para os pets, a BlinDog já tem em mente um segundo produto, que segue a mesma lógica da coleira, mas agora para cachorros “teimosos”. “O produto funciona assim: se você não quer que seu cachorro suba no sofá ou na cama, então coloca uma “tagzinha” nele e outra em todos os lugares que você não quer que ele se aproxime. O funcionamento é parecido (com o da coleira): vibra e ele se afasta”, explica Luana. Em fase de testes, esse segundo produto tem previsão de lançamento no mercado para o ínicio de 2020. Saiba mais sobre a BlinDog no site www.blindog.com.br.  

BOMÉDICO

incubada

Bomédico oferece plataforma para agilizar e facilitar marcação de exames e consultas médicas Startup da Inova Metrópole já conta com 160 clínicas ou profissionais cadastrados em seu serviço Marcar uma consulta parece tarefa simples, mas a demora e dificuldade em conseguir uma data ou médico disponível pode fazer com que o interessado adie o quanto puder essa providência. Foi pensando em superar esse e outros empecilhos, que um grupo de empreendedores desenvolveu o Bomédico, aplicativo que ajuda a agendar consultas e exames de forma rápida e prática. A aplicação disponível para os sistemas Android e iOS é o serviço oferecido pela startup, inserida no programa de incubação da Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital. Por meio da plataforma, o usuário pode encontrar o profissional de saúde mais próximo, marcar a consulta desejada 24h por dia e ainda receber notificações sobre o dia da consulta, evitando assim esquecer o compromisso. E também funciona para remarcações e cancelamentos. Ingressando no programa de incubação da Inova em janeiro de 2018, a empresa já conta com 160 clínicas e profissionais da área da saúde cadastrados em seu aplicativo, tais como médicos, odontólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, ginecologistas, entre outros. Além disso, o app também dispõem da marcação de 50 tipos de exames. O Bomédico também permite que mais de uma pessoa faça uso do mesmo aplicativo. Dessa forma, ao se cadastrar, o usuário pode registrar familiares ou amigos. Para inscrever-se no app, o interessado basta informar nome, telefone, e-mail e criar uma senha para login. Na pesquisa pela consulta, pode-se escolher a cidade, especialidade, subespecialidade e gênero. A equipe realizadora do app é composta pelo CEO da Bomédico, Rilton Campos, o seu gerente comercial, André Tinoco, Bruno Tinoco, o investidor Ângelo Antônio e o advogado André Medeiros, acompanhados de um time de quatro funcionários. “Nossa plataforma não objetiva apenas marcar consultas, mas melhorar a experiência do paciente. Nossa ideia é criar um ecossistema de saúde”, explica Rilton Campos. Saiba mais sobre o trabalho do Bomédico no site: www.bomedico.com.br.

Camajus

incubada

Camajus: justiça a um clique de distância Atualmente, resolver algo na justiça pode ser um verdadeiro desafio. Entregar documentos, descolar-se até outra cidade ou estado para reunir-se com advogados, enfrentar processos burocráticos para resolver litígios. São muitos os entraves que demandam tempo e trabalho de quem necessita ou trabalha com a justiça. Foi pensando nessa dificuldade que a Camajus, empresa incubada da Inova Metrópole, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), desenvolveu uma plataforma inovadora: a câmara arbitral online. A ideia é fazer com que o processo de arbitragem e mediação sejam instrumentos efetivos de acesso à justiça. Para isso, a empresa criou uma plataforma acessível que permite ingresso remoto a salas virtuais de interação em que, com auxílio de especialistas, se resolvem diferentes tipos de litígios, sem a necessidade dos interessados se deslocarem até um ambiente físico para a resolução dos problemas. “É o caso de uma empresa de telefonia que tem que resolver um conflito jurídico em um outro estado. Ao invés de se deslocar até a outra cidade, a empresa pode solucionar o litígio acessando, na própria sede, a plataforma online”, exemplifica José Nicodemos de Araújo Júnior, CEO da Camajus. Com a câmara de arbitragem, é possível enviar documentos, mandar mensagens de texto, entre outras funcionalidades, sendo necessário apenas que o usuário tenha acesso à internet no dia e hora pré-acordados com a parte interessada. “Tudo isso faz da arbitragem online uma solução muito mais cômoda do que as vias tradicionais da justiça, já que o cliente pode resolver conflitos de uma forma muito mais econômica e rápida”, avalia o CEO. Além disso, a Camajus oferece serviços de negociação direta e de mediação. Com eles, os usuários podem optar por resolver seus litígios com intermédio profissional (mediador) ou por meio de acordo direto com as partes interessadas. Tudo isso de forma online e com toda a oficialidade jurídica requerida para esse tipo de resolução. Ultrapassando fronteiras Segundo José Nicodemos, a Camajus, que surgiu em 2018, nasceu a partir de uma ideia de se fazer uma câmara de arbitragem física, novidade no mercado potiguar. “Mas, em conversa com nossos sócios, pensamos em uma ideia que nos fizesse ir além do mercado local, oferecendo o serviço, também, para outros Estados”, conta Nicodemos. Com menos de um ano de atuação no mercado, a empresa incubada já tem percebido retornos positivos por parte dos clientes. “Buscamos agora atender grandes empresas, corporações de grande porte que se beneficiariam bastante com a nossa plataforma devido à alta quantidade de conflitos que esse tipo de negócio tem naturalmente”, conta o CEO. Para conhecer mais sobre a empresa Camajus, acesse o seu portal: www.camajus.com.br.

DrinkApp

pré-incubada

DrinkApp: o delivery da bebida alcoólica Em momentos de lazer e de confraternização, praticidade e rapidez são sempre bem-vindas. Ainda mais quando o assunto é bebida, item indispensável para celebrar e curtir a vida em boa companhia. Pensando nisso, a empresa B2Soft, vinculada à incubadora de empresas Inova Metrópole, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), desenvolveu o aplicativo DrinkApp. O produto foi lançado na primeira quinzena de março de 2019 e oferece aos consumidores a opção de fazer pedidos delivery de bebida alcóolica às lojas vinculadas ao aplicativo. “A ideia é fazer com que a pessoa que está lá no churrasco com os amigos, ou em qualquer outro lugar, não precise se deslocar até uma loja pra comprar a bebida, basta fazer o pedido e pagar pelo produto e pelo frete”, explica Miguel Rocha, sócio da B2Soft e idealizador do DrinkApp. Além de ser um aplicativo inovador na área de TI, o modelo de negócios proposto pela empresa desenvolvedora da DrinkApp oferece facilidades para todas as áreas alcançadas. Com a praticidade de se pedir em casa, o aplicativo traz mais liberdade de escolha para o cliente. “Muitas vezes, comprar a cerveja por um preço mais barato e pagar pelo frete sai mais em conta do que pagar pela mesma bebida em ambientes como hotéis, por exemplo”, aponta o sócio Álvaro Negreiros. A solução também favorece os vendedores de bebida, que contam com uma oportunidade de ampliar consideravelmente o seu número de clientes, já que as compras com o aplicativo podem ser feitas em qualquer bairro de Natal (RN).  A ideia Segundo Rocha, a ideia surgiu após sua participação em evento de tecnologia em 2017. No encontro, foi desenvolvido um projeto similar ao DrinkApp. “Fizemos uma pesquisa de campo e percebemos que a ideia era bastante promissora”, conta Rocha. Após isso, foi constituída a equipe de sócios que se juntaram a Miguel Rocha: Gabriel Signoretti e Álvaro Negreiros, todos formados em engenharia da computação. O trio vinculou a empresa B2Soft à Inova Metrópole em 2018 e continuou a desenvolver o DrinkApp. Segundo Rocha, a atuação da empresa – que desenvolve aplicativos e sistemas de TI – trouxe aos empreendedores uma série de parcerias com empresas do ramo de bebidas, o que ajudou no desenvolvimento de estratégias de venda. “A ideia dessas parcerias é fazer com que o usuário, mesmo acessando outro aplicativo de bebidas, possa ser redirecionado ao DrinkApp na hora de fazer o pedido e comprar o produto, já que é o nosso aplicativo que traz a opção de fechar a compra”, explica Álvaro Negreiros. Segundo os sócios, o número de pessoas que buscam informações sobre promoções e venda de bebida é significativo. São mais de 4,5 mil pessoas a utilizarem sistemas de busca de preços promocionais todos os dias. Após o lançamento do aplicativo, os desenvolvedores do DrinkApp pretendem levar o produto para mais cidades. “Não temos nenhum outro negócio semelhante no Norte e Nordeste e pretendemos, após garantirmos a estabilidade no mercado local, fechar parcerias com mais lojas dessas regiões”, informa o sócio Gabriel Signoretti.

DUNA Bioinformatics

pré-incubada

Duna Bioinformatics é pioneira no mercado de bioinformática natalense Além de facilitar a vida de muita gente, a tecnologia tem auxiliado inúmeras áreas de pesquisa. Uma delas é a genética, campo da ciência que tem despertado bastante interesse de empresas e profissionais que buscam melhorar o tratamento de pacientes com complicações como câncer, entre outras. Diante dessa realidade, o farmacêutico e pesquisador José Eduardo Kroll e o professor universitário Sandro José de Souza – um dos pioneiros da genômica e da bioinformática no Brasil – resolveram criar a empresa Duna Bioinformatics. Especializada em serviços de bioinformática, a empresa deu início às atividades em setembro de 2018 e atualmente se encontra em fase de pré-incubação da incubadora de empresas Inova Metrópole, do Instituto Metrópole Digital (IMD/URN). Segundo José Eduardo, a ideia surgiu para atender a uma demanda não apenas da saúde, mas também do próprio mercado. “Temos uma quantidade considerável de gente se formando na área de bioinformática e pensamos em captar essa mão de obra”, conta o sócio. Atualmente, a Duna Bioinformatics, que conta com parceria da Biominas Brasil, oferece análises computacionais de dados de genoma, transcriptoma e proteoma, além de consultorias, serviços customizados e desenvolvimento de softwares. “Um exemplo prático de nossos serviços é o de um hospital que nos envia o sequenciamento de um tumor. Recebemos essas informações, fazemos a análise computacional e emitimos um parecer, que ajuda o médico a saber, por exemplo, quais os melhores medicamentos para o tratamento do caso”, explica José Eduardo. Com a análise genética completa, são muitos os benefícios trazidos ao tratamento dos pacientes, já que as informações levantadas baseiam todo o diagnóstico médico. Para o desempenho de suas atividades, a empresa faz uso de recursos computacionais avançados, como processamento em nuvem e toda a estrutura informacional do IMD. Além disso, uma equipe especializada de professores universitários auxilia nas análises e no desenvolvimento dos serviços da empresa. Pioneirismo promissor Sendo uma empresa pioneira em sua área de atuação, o futuro do mercado da Duna Informatics é bastante promissor. “Além da questão de sermos pioneiros, também percebemos que o processamento genético tem sido cada vez mais procurado, o que facilita bastante a procura por nossos serviços especializados de bioinformática por parte de clínicas, hospitais e profissionais da saúde”, acrescenta o farmacêutico. Mas a Duna Informatics também enfrenta desafios. “Somos um mercado ainda pequeno e precisamos mostrar a importância do nosso serviço para a sociedade. Por isso nós trabalhamos nessa questão da educação, para informar e conscientizar sobre como a bioinformática é positiva para a promoção da saúde”, diz José Eduardo.   Saiba mais sobre a empresa em: www.dunabioinfo.com.

Ecomp Tecnologia

incubada

Criada para gerar soluções inteligentes em negócios através da tecnologia, a Ecomp  – SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS EM NEGÓCIOS resolveu dar um passo à frente quando passou a desenvolver uma plataforma para atingir um público mais amplo, o usuário comum de informática. Foi assim que surgiu o seu serviço de marketplace, que objetiva conectar profissionais que oferecem assistência técnica a clientes individuais. A nova plataforma em desenvolvimento pela Ecomp, no entanto, convive bem com sua principal atividade atualmente, que é a oferta, por meio de contratos empresariais, de um serviço que cuida de todas as necessidades de TI de uma empresa. Dessa forma, são realizados desde a aplicação e o gerenciamento de backups automáticos, a estruturação de redes de computadores, ou ainda uma assessoria em inovações. Além disso, a Ecomp também presta o suporte contínuo a seus clientes, cuidando do funcionamento e da qualidade do serviço. E, apesar do contrato empresarial ser seu forte, suas atividades também abrangem o atendimento técnico de informática para clientes em geral, como é o caso de manutenção de dispositivos ou instalação remota de aplicações. Assim, a empresa mantém uma economia saudável, tendo movimentado cerca de R$ 300 mil no ano passado e concluído 230 atendimentos nos últimos seis meses. Além disso, já cumpriu mais de 1100 ordens de serviços avulsos desde que ingressou na incubadora Inova Metrópole, em 2016. E também já firmou 33 contratos empresariais desde o seu surgimento, em 2015. Marketplace A plataforma em desenvolvimento pela empresa, que visa criar um marketplace que ligue clientes a técnicos de informática, é única no Rio Grande do Norte. Como os profissionais são aprovados por meio de cadastro, tem a vantagem de passar garantia e segurança aos clientes. Outra vantagem é a assistência remota, através de aplicação fornecida pela EComp para profissional e cliente. Por hora, no entanto, a plataforma encontra-se desativada para que a empresa possa realizar aprimoramentos. A ideia é que passe a ser completamente automatizada, tanto para os clientes como para os técnicos. Mas o serviço não deixou de ser prestado, já que os clientes ainda podem procurar a Ecomp mesmo no caso de serviços mais simples e para pessoas físicas. Hoje, a empresa com conta com 12 colaboradores - entre estagiários, técnicos, sócios e demais prestadores de serviço. Foi fundada por Francisco Queiroz e Lair Solano, ambos formados em Engenharia da Computação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A companhia foi uma iniciativa de Francisco, que planejava voltar a empreender, depois que teve um serviço informal de Tecnologia da Informação (TI) antes da graduação. Assim, juntou-se ao seu colega de turma e formou a sociedade atual. Saiba mais sobre a Ecomp no site www.ecomptec.com.br.