Empresas

todas (21)

BlinDog

incubada

BlinDog: produtos tecnológicos para o bem estar dos pets A Blindog, startup que vem ganhando cada vez mais destaque no cenário empresarial nacional e internacional, é uma empresa que nasceu do amor aos pets. A startup está inserida no programa de pré-incubação da Inova Metrópole e desenvolve produtos tecnológicos voltados para o bem estar e qualidade de vida dos cachorros. O seu primeiro item é a “coleira inteligente”, que guia os animais cegos para que eles consigam desviar de obstáculos. O equipamento funciona por meio da identificação desses obstáculos, emitindo alertas vibratórios no momento em que o animal deve desviar, condicionando-o ao estímulo negativo da vibração. A equipe da startup é formada por Luana Wandecy, engenheira da computação e mestre em Tecnologia e Inovação, e Natália Dantas, administradora e chefe de planejamento da empresa. A BlinDog foi criada no Startup Weekend em 2015, por meio do desenvolvimento da coleira, em 24 horas, durante uma competição. A ideia surgiu da necessidade que Luana observou em sua cachorrinha, Princesa, já idosa na época. “Eu tinha uma cachorra cega e ela batia muito nos móveis e nas paredes e eu não encontrei nenhuma solução que se adequasse a ela. A única que existia era um bambolê, que era pesado e pra ela não dava certo”, lembra a empresária. A solução criada por ela ganhou o segundo lugar na competição e, em 2017, um lugar na incubadora de empresas do Instituto Metrópole Digital (IMD). Por meio de seus produtos inovadores, a BlinDog tem colecionado prêmios em eventos de empreendedorismo Brasil afora, como por exemplo a premiação de destaque recebida, em 2018, no programa de capacitação em empreendedorismo inovador da InovAtiva Brasil, maior iniciativa de aceleração de startups do país. Seguindo o objetivo de se tornar referência em produtos tecnológicos para os pets, a BlinDog já tem em mente um segundo produto, que segue a mesma lógica da coleira, mas agora para cachorros “teimosos”. “O produto funciona assim: se você não quer que seu cachorro suba no sofá ou na cama, então coloca uma “tagzinha” nele e outra em todos os lugares que você não quer que ele se aproxime. O funcionamento é parecido (com o da coleira): vibra e ele se afasta”, explica Luana. Em fase de testes, esse segundo produto tem previsão de lançamento no mercado para o ínicio de 2020. Saiba mais sobre a BlinDog no site www.blindog.com.br.  

BOMÉDICO

incubada

Bomédico oferece plataforma para agilizar e facilitar marcação de exames e consultas médicas Startup da Inova Metrópole já conta com 160 clínicas ou profissionais cadastrados em seu serviço Marcar uma consulta parece tarefa simples, mas a demora e dificuldade em conseguir uma data ou médico disponível pode fazer com que o interessado adie o quanto puder essa providência. Foi pensando em superar esse e outros empecilhos, que um grupo de empreendedores desenvolveu o Bomédico, aplicativo que ajuda a agendar consultas e exames de forma rápida e prática. A aplicação disponível para os sistemas Android e iOS é o serviço oferecido pela startup, inserida no programa de incubação da Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital. Por meio da plataforma, o usuário pode encontrar o profissional de saúde mais próximo, marcar a consulta desejada 24h por dia e ainda receber notificações sobre o dia da consulta, evitando assim esquecer o compromisso. E também funciona para remarcações e cancelamentos. Ingressando no programa de incubação da Inova em janeiro de 2018, a empresa já conta com 160 clínicas e profissionais da área da saúde cadastrados em seu aplicativo, tais como médicos, odontólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, ginecologistas, entre outros. Além disso, o app também dispõem da marcação de 50 tipos de exames. O Bomédico também permite que mais de uma pessoa faça uso do mesmo aplicativo. Dessa forma, ao se cadastrar, o usuário pode registrar familiares ou amigos. Para inscrever-se no app, o interessado basta informar nome, telefone, e-mail e criar uma senha para login. Na pesquisa pela consulta, pode-se escolher a cidade, especialidade, subespecialidade e gênero. A equipe realizadora do app é composta pelo CEO da Bomédico, Rilton Campos, o seu gerente comercial, André Tinoco, Bruno Tinoco, o investidor Ângelo Antônio e o advogado André Medeiros, acompanhados de um time de quatro funcionários. “Nossa plataforma não objetiva apenas marcar consultas, mas melhorar a experiência do paciente. Nossa ideia é criar um ecossistema de saúde”, explica Rilton Campos. Saiba mais sobre o trabalho do Bomédico no site: www.bomedico.com.br.

Boomer

pré-incubada

Boomer cria tecnologia de cashback para incrementar vendas no mercado potiguar Criada com o propósito de inovar e estabelecer engajamento comercial por meio de cashback (método de compra e venda em que o consumidor recebe de volta parte do dinheiro gasto), a empresa Boomer oferece ao mercado potiguar uma solução tecnológica capaz de aumentar potencialmente o número de vendas de produtos comercializados em varejo. Vinculada à Inova Metrópole – incubadora de empresas do Parque Metrópole Digital – a startup conta com um aplicativo (de mesmo nome) que permite aos usuários ganhar de volta, sobre cada compra, porcentagens de 5%, 40% ou até mais de 80% dos valores de cada mercadoria cadastrada. “Um dos nossos diferenciais é a possibilidade do usuário utilizar o Boomer em qualquer loja varejista, como supermercados ou padarias, diferente do que acontece com outras soluções do tipo. Ao comprar aquele produto, o valor é automaticamente creditado no aplicativo e já pode ser sacado no mesmo dia”, destaca João Henrique Cassaro, CEO da Boomer. Isso é possível graças ao processamento automático da aplicação, que consulta dados oriundos da nota fiscal eletrônica (NFC-e /SAT) para constatar a compra do usuário, devendo este, através do aplicativo, apenas escanear o código QR do cupom fiscal, impresso pelo varejista onde o usuário fez a compra.  De acordo com João Henrique Cassaro, esse tipo de negócio oferece vantagens não apenas ao consumidor, mas também ao empreendedor. “É muito mais vantajoso comprar de uma marca que retorna uma porcentagem do valor do produto do que uma que não oferece cashback algum. Além disso, essa ferramenta permite que empresas invistam melhor seu dinheiro, com retorno muito mais garantido do que quando lançam promoções tradicionais ou sorteios”, aponta o CEO. Para ter acesso à lista de mercadorias com cashback, basta o usuário fazer o download gratuito da aplicação para os sistemas operacionais iOS ou Android. Varejo Além do trabalho com marcas e produtos específicos, a Boomer também visa estender esse tipo de serviço às redes de varejo. “Um comércio pode, para fidelizar o seu cliente, oferecer uma porcentagem sobre uma determinada compra, que seja feita no seu estabelecimento. Isso é uma possibilidade e já estamos fazendo a proposta à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) local, para que eles devolvam cashback das compras aos seus clientes”, comenta Cassaro. Outra meta da startup é fazer com que seu aplicativo se torne, para o consumidor final, uma forma de pagamento e de saque. De acordo com o CEO, a proposta é possibilitar que os usuários possam comprar produtos por meio do crédito disponível em sua conta Boomer ou até mesmo sacar o dinheiro direto dos caixas das lojas cadastradas. “Graças ao código QR, é possível realizar essa transição monetária, tornando qualquer padaria, restaurante ou mercadinho um caixa eletrônico 24h”, explica o CEO.

Construtor Digital

incubada

Obrasnet: Gerenciamento de construção pensado de maneira intuitiva Apesar da construção civil ser um ramo da engenharia com investimento de longo prazo e um mercado sempre ativo, ela ainda sofre com ferramentas de gestão muito complexas e pouco práticas. Tendo esse problema em vista, a Construtor Digital está desenvolvendo o Obrasnet, uma plataforma online para gestão de obras e empresas do setor que possui uma interface intuitiva e de fácil aprendizado. A aplicação dá uma visão detalhada sobre as obras e a gestão administrativa da empresa com coleta, organização e análise de dados, além da geração de gráficos. O Obrasnet conta com ferramentas para o controle financeiro, gerenciamento de recursos, indo do cadastro de fornecedores até a realização de pedidos e comunicação direta com o cliente. O Obrasnet, já está em fase de pré-venda e pode ser adquirido através de uma assinatura. Focado na experiência do usuário, o sistema “não requer grande treinamento para que você possa fazer uma gestão detalhada da sua empresa ou da sua obra”, destaca Bruno Marinho, um dos sócios da empresa. A disponibilização antecipada também serve como auxílio ao desenvolvimento baseado no feedback dos usuários. Junto à plataforma ainda é fornecida uma apresentação inicial para conduzir o usuário nos primeiros passos, mas a intenção é que um tutorial completo fique disponível em vídeo-aulas online. A Construtor Digital é pré-incubada na Inova Metrópole, incubadora do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), desde outubro de 2018, e também desenvolve softwares, aplicativos e sites sobre demanda, inclusive prestando consultoria ao Senai neste ramo. A empresa surgiu em 2017, quando cinco amigos recém-graduados em diferentes engenharias procuravam empreender. A ideia da aplicação só surgiu em 2018, quando a empresa passou a ser uma startup de produção tecnológica sob demanda, a partir de uma construtora que desejava desenvolver o seu próprio software. Com essa motivação, foi realizada uma pesquisa de mercado a nível nacional, que possibilitou a criação de um modelo que suprisse às necessidades encontradas, principalmente voltado para atender empresas de pequeno porte. Saiba mais sobre o Obrasnet no site: www.obrasnet.com. 

DUNA Bioinformatics

incubada

Duna Bioinformatics é pioneira no mercado de bioinformática natalense Além de facilitar a vida de muita gente, a tecnologia tem auxiliado inúmeras áreas de pesquisa. Uma delas é a genética, campo da ciência que tem despertado bastante interesse de empresas e profissionais que buscam melhorar o tratamento de pacientes com complicações como câncer, entre outras. Diante dessa realidade, o farmacêutico e pesquisador José Eduardo Kroll e o professor universitário Sandro José de Souza – um dos pioneiros da genômica e da bioinformática no Brasil – resolveram criar a empresa Duna Bioinformatics. Especializada em serviços de bioinformática, a empresa deu início às atividades em setembro de 2018 e atualmente se encontra em fase de pré-incubação da incubadora de empresas Inova Metrópole, do Instituto Metrópole Digital (IMD/URN). Segundo José Eduardo, a ideia surgiu para atender a uma demanda não apenas da saúde, mas também do próprio mercado. “Temos uma quantidade considerável de gente se formando na área de bioinformática e pensamos em captar essa mão de obra”, conta o sócio. Atualmente, a Duna Bioinformatics, que conta com parceria da Biominas Brasil, oferece análises computacionais de dados de genoma, transcriptoma e proteoma, além de consultorias, serviços customizados e desenvolvimento de softwares. “Um exemplo prático de nossos serviços é o de um hospital que nos envia o sequenciamento de um tumor. Recebemos essas informações, fazemos a análise computacional e emitimos um parecer, que ajuda o médico a saber, por exemplo, quais os melhores medicamentos para o tratamento do caso”, explica José Eduardo. Com a análise genética completa, são muitos os benefícios trazidos ao tratamento dos pacientes, já que as informações levantadas baseiam todo o diagnóstico médico. Para o desempenho de suas atividades, a empresa faz uso de recursos computacionais avançados, como processamento em nuvem e toda a estrutura informacional do IMD. Além disso, uma equipe especializada de professores universitários auxilia nas análises e no desenvolvimento dos serviços da empresa. Pioneirismo promissor Sendo uma empresa pioneira em sua área de atuação, o futuro do mercado da Duna Informatics é bastante promissor. “Além da questão de sermos pioneiros, também percebemos que o processamento genético tem sido cada vez mais procurado, o que facilita bastante a procura por nossos serviços especializados de bioinformática por parte de clínicas, hospitais e profissionais da saúde”, acrescenta o farmacêutico. Mas a Duna Informatics também enfrenta desafios. “Somos um mercado ainda pequeno e precisamos mostrar a importância do nosso serviço para a sociedade. Por isso nós trabalhamos nessa questão da educação, para informar e conscientizar sobre como a bioinformática é positiva para a promoção da saúde”, diz José Eduardo.   Saiba mais sobre a empresa em: www.dunabioinfo.com.

Ecomp Tecnologia

incubada

Criada para gerar soluções inteligentes em negócios através da tecnologia, a Ecomp  – SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS EM NEGÓCIOS resolveu dar um passo à frente quando passou a desenvolver uma plataforma para atingir um público mais amplo, o usuário comum de informática. Foi assim que surgiu o seu serviço de marketplace, que objetiva conectar profissionais que oferecem assistência técnica a clientes individuais. A nova plataforma em desenvolvimento pela Ecomp, no entanto, convive bem com sua principal atividade atualmente, que é a oferta, por meio de contratos empresariais, de um serviço que cuida de todas as necessidades de TI de uma empresa. Dessa forma, são realizados desde a aplicação e o gerenciamento de backups automáticos, a estruturação de redes de computadores, ou ainda uma assessoria em inovações. Além disso, a Ecomp também presta o suporte contínuo a seus clientes, cuidando do funcionamento e da qualidade do serviço. E, apesar do contrato empresarial ser seu forte, suas atividades também abrangem o atendimento técnico de informática para clientes em geral, como é o caso de manutenção de dispositivos ou instalação remota de aplicações. Assim, a empresa mantém uma economia saudável, tendo movimentado cerca de R$ 300 mil no ano passado e concluído 230 atendimentos nos últimos seis meses. Além disso, já cumpriu mais de 1100 ordens de serviços avulsos desde que ingressou na incubadora Inova Metrópole, em 2016. E também já firmou 33 contratos empresariais desde o seu surgimento, em 2015. Marketplace A plataforma em desenvolvimento pela empresa, que visa criar um marketplace que ligue clientes a técnicos de informática, é única no Rio Grande do Norte. Como os profissionais são aprovados por meio de cadastro, tem a vantagem de passar garantia e segurança aos clientes. Outra vantagem é a assistência remota, através de aplicação fornecida pela EComp para profissional e cliente. Por hora, no entanto, a plataforma encontra-se desativada para que a empresa possa realizar aprimoramentos. A ideia é que passe a ser completamente automatizada, tanto para os clientes como para os técnicos. Mas o serviço não deixou de ser prestado, já que os clientes ainda podem procurar a Ecomp mesmo no caso de serviços mais simples e para pessoas físicas. Hoje, a empresa com conta com 12 colaboradores - entre estagiários, técnicos, sócios e demais prestadores de serviço. Foi fundada por Francisco Queiroz e Lair Solano, ambos formados em Engenharia da Computação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A companhia foi uma iniciativa de Francisco, que planejava voltar a empreender, depois que teve um serviço informal de Tecnologia da Informação (TI) antes da graduação. Assim, juntou-se ao seu colega de turma e formou a sociedade atual. Saiba mais sobre a Ecomp no site www.ecomptec.com.br.

Futebol Interativo

incubada

Futebol Interativo leva tecnologia para educação profissional do esporte mais popular do Brasil Focada na capacitação profissional de quem se interessa por futebol e quer seguir carreira na área, a Futebol Interativo tem como diferencial a inovação. Sua plataforma online funciona como sala de aula, com transmissões ao vivo, serviço para tirar dúvidas e fórum exclusivo para cada turma. Combinado a isso, contam com material próprio e exclusivo, criado pelos professores de cada curso. As turmas têm seis semanas de aulas, além de período para produção de trabalhos e demais atividades, levando ao certificado de 30 horas. Em geral, o foco da empresa são as aulas online, por meio de plataforma própria, mas também são promovidos eventos no offline, presencialmente. Seguindo além da capacitação, a FI tem conseguido oportunidades para seus alunos. Na primeira turma de Análise de Desempenho, aquele que mais se destacou conseguiu um estágio no clube Benfica, de Portugal. Já na segunda turma, boas chances no Benfica, no América de Natal e no Esporte Clube Bahia. O seu diretor de tecnologia, Airton Neto estudante do Bacharelado em Tecnologia da Informação do Instituto Metrópole Digital/UFRN, explica que o formato de trabalho da empresa surgiu a partir das reflexões que foram feitas sobre a concorrência na área. “Nós vimos que havia ainda uma formação muito restrita, que era em sua maioria presencial. As oportunidades de formação online eram poucas”, conta ele. Os primeiros cursos desenvolvidos pela Futebol Interativo tiveram foco em pessoas que estavam terminando sua graduação, que tinham perfil mais jovem e interesse de trabalhar com futebol. Mas com o tempo passaram a abranger outros públicos, formado por pessoas que já estão no mercado ou que ainda não iniciaram a graduação. “O público-alvo, de forma geral, é o aluno ou profissional que está se direcionando para o mercado do futebol, mas também pode ser o curioso e apaixonado pelo esporte, que quer conhecer um pouco mais sobre aquela paixão que ele tem de uma maneira diferente”, explica George Klinger, um dos sócios da empresa. Para conhecer mais sobre a empresa acesse www.futebolinterativo.com.br.

Game Mind

pré-incubada

Com plataforma de jogos online inovadores, startup oferece uma nova maneira de aprender matemática   Para tornar a matemática uma disciplina acessível e com o intuito de auxiliar, de maneira inovadora, estudantes a adquirirem novos conhecimentos e habilidades, a Game Mind – empresa vinculada à Inova Metrópole, incubadora do Parque Tecnológico Metrópole Digital – está desenvolvendo uma nova forma de aprender cálculo, equações e outros assuntos.   A empresa, formada no ano de 2020, está empenhada na criação de uma plataforma de jogos online de mesmo nome que reunirá diversas lições de matemática em um ambiente interativo e instigante, capaz de engajar o usuário na busca por conhecimentos didáticos sobre a matéria.   “Trata-se uma plataforma que disponibilizará sequências didáticas junto a jogos inovadores, de maneira a explicar matemática de uma forma bem diferenciada”, explica o gestor estratégico da empresa, Charles Madeira.   Inicialmente, o Game Mind abordará os conceitos trabalhados nos primeiros níveis de ensino escolar (fundamental 1) e, no futuro, com o desenvolvimento da plataforma e dos jogos didáticos, progredirá para os demais estágios de aprendizagem. A proposta é que, por meio de recursos imagéticos, como personagens cativantes e cenários digitais, o aluno possa desenvolver habilidades tanto no jogo como na vida real, evoluindo a cada nova fase.   “Por exemplo, se o personagem salta, isso gera um projétil em forma de parábola. Com esse caso, é possível ensinar o aluno de maneira prática, que o faça perceber a matemática no mundo real, já que uma parábola nada mais é do que uma função de segundo grau”, aponta o gestor.   Premiado A ideia de se criar a plataforma surgiu no ano passado, período em que os desenvolvedores da Game Mind criaram um projeto premiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).   Segundo Charles Madeira, além do reconhecimento nacional, outro fator que incentiva a equipe a desenvolver a plataforma é o baixo rendimento escolar em matemática, situação presente em todo o Brasil.   “Trata-se de um componente curricular importantíssimo e com o qual temos um deficit nacional gigantesco. Menos de 10% dos alunos que terminam o ensino médio aprendem a matéria suficientemente”, comenta o gestor.   A Game Mind tem como potenciais clientes escolas, professores, pais e estudantes. Atualmente, a startup visa oferecer o produto em todo o território nacional, mas também pensa em estender seu negócio a outros países, fazendo, para isso, a tradução da plataforma em diferentes línguas.